Parceria entre a Microsoft e Secretaria Estadual de Educação oferecem gratuitamente 5 programas para estudo e ensino


alunos em sala de aula

Olá pessoal! Replicando postagem do Instituto Sabedoria!

Fonte: www.educacao.sp.gov.br/

Parceria com a Microsoft oferece download gratuito do novo Office 365 a todos os alunos da rede

Os alunos da rede estadual paulista podem aproveitar as férias para organizar arquivos digitais que facilitam o estudo dentro e fora de sala de aula. Em parceria com a Microsoft, a Educação permite o download gratuito de cinco licenças do Office 365: Word, Excel, Power Point e Outlook são alguns dos programas disponíveis, e gratuitos, aos 3,8 milhões de estudantes do Ensino Fundamental (ciclo I e II),Ensino Médio e Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Siga a Secretaria da Educação no Twitter e noFacebook

Para ter acesso ao pacote é preciso antes fazer um cadastro na página da Secretaria Escolar Digital (SED) e criar um novo endereço de e-mail. Com esse registro, as assinaturas podem ser realizadas em até cinco dispositivos diferentes seja computador pessoal, tablete e/ou celular. O uso é livre e não depende de quaisquer outras autorizações.

Veja a seguir as vantagens de cada programa, como utilizá-los em tarefas escolares e melhorar o desempenho dos estudantes em sala de aula:

Word

Programa mais popular do pacote Office, o Word é um editor de texto. Ideal para redigir trabalhos de pesquisa, anotações em sala de aula e resumos de capítulos. As formatações mais recomendadas são Arial, Courier e Times New Roman (tamanho 12).

Power Point

Esqueça os cartazes de cartolina ou papel pardo. Com o Power Point é possível criar apresentações mais criativas e com destaque ao conteúdo. A versão do Office 365 permite adicionar sons e vídeos, além de imagens e textos.

Outlook

Mais do que uma caixa de mensagens, o Outlook é também agenda de contatos e calendário. Marque as datas de provas, entregas de trabalho e atividades extraclasses em um único lugar. Não esqueça de habilitar os alertas para não perder nenhum compromisso.

Skype

Reuniões de grupo, às vezes, esbarram no problema: distância. Com o Skype, alunos em diferentes lugares (em casa, no trabalho, na escola) podem discutir etapas de um trabalho ou até tirar dúvidas antes das provas.

OneDrive

Armazene em um só lugar textos, imagens e vídeos. Mais do que economizar espaço, o OneDrive evita a famosa frase “professor, esqueci o material em casa”. Basta garantir o acesso à internet que todas as informações salvas nos dispositivos são recuperadas.

Captação de recursos para projetos voltados a pessoas com deficiência e combate ao câncer


Olá pessoal!

Hoje vamos compartilhar com vocês um artigo importante sobre Captação de Recursos. Digo importante, pois, apesar da morosidade do poder público em criar regras que visam colaborar com sustentabilidade das organizações do terceiro setor, continua o processo de transformação positiva nas regras que envolvem esta área.

Desta vez, as áreas beneficiadas foram a Oncologia e para Pessoas com Deficiência, que vai permitir as organizações poderem conseguir apoio e patrocínio para seus projetos e, por sua vez, as empresas poderem também se beneficiar dos incentivos fiscais, já concedidos e conhecidos de todos em outras áreas de atuação. Trata-se de mais um avanço na busca de melhores condições para este setor da economia.

Vamos compartilhar com vocês uma publicação do GIFE, que fala sobre este assunto:

Organizações já podem captar recursos para a saúde via incentivos fiscais

As organizações da sociedade civil que atuam com projetos relacionados à oncologia ou deficiência física já podem se beneficiar com o Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (PRONON) e o Programa Nacional à Atenção da Pessoa cm Deficiência (PRONAS/PCD), ambos da pasta da Saúde.  É o que garantiu o consultor jurídico do Ministério da Saúde, Dr. Fabricio Oliveira Braga, em evento realizado pelo GIFE e pelo escritório Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados sobre a nova regulamentação.

Segundo Braga, basta que as organizações se cadastrem junto à Secretaria Executiva e tenham seus projetos alinhados às diretrizes e áreas prioritárias da política estabelecida pelo ministério.

 

A Lei 12.715/12, que contempla os programas, prevê que a iniciativa privada possa captar e canalizar recursos mediante incentivo fiscal para a execução de projetos de prevenção e combate ao câncer e prevenção e reabilitação da pessoa com deficiência. São elegíveis ao incentivo as associações e fundações que possuam o CEBAS ou tenham sido qualificadas como Organizações Sociais ou OSCIP.

As organizações interessadas devem, após devidamente credenciadas, enviar seus projetos para análise e aprovação das áreas técnicas da Secretaria de Atenção à Saúde. Os projetos aprovados serão publicados por meio de uma Portaria, autorizando assim a captação dos recursos. “A publicização dará credibilidade às organizações no momento da captação, como uma forma de comprovação de suas aptidões”, explicou Braga. Além da Portaria, a lista das entidades aprovadas estará disponível permanentemente no site do Ministério da Saúde.

Para cada projeto aprovado, o Ministério solicitará a abertura de duas contas correntes. A primeira terá a função de receber os recursos diretamente do doador, que serão transferidos para a segunda conta para que a organização responsável pelo projeto gerencie e movimente os valores captados de forma autônoma. Não há um valor mínimo necessário de captação para que os recursos sejam transferidos para a conta de movimentação. Basta que esteja descrito nos projetos os valores necessários para cada etapa.

A partir da aprovação do projeto pela pasta ministerial, a organização terá o prazo máximo de dois anos para iniciar a execução do mesmo. Segundo Braga, caso o valor total previsto não seja captado, o Ministério estuda a possibilidade de haver a readequação do projeto. A prestação de contas será feia diretamente ao Ministério da Saúde, via meio físico.

O período regulamentado para as doações das empresas que declaram o imposto de renda por lucro real é de 2012 a 2015, e para pessoas físicas que fazem a declaração detalhada é de 2013 a 2016, tendo deduções fiscais de até 1% de cada programa do Imposto de renda devido na declaração do ano subsequente. Vale destacar que os montantes alocados em prol tanto do PRONON como do PRONAS não concorrem entre si, nem tampouco com os valores destinados a projetos de outra natureza (como os projetos em cultura), o que aumenta o teto de incentivos a programas via dedução de imposto de renda para 8% do total devido.

Apesar de todo o esforço do Ministério da Saúde, algumas questões ainda estão indefinidas e geram dúvidas. Para o gerente geral da Fundação CSN, André Leonardi, a lei é um grande avanço, porém peca em alguns pontos da regulamentação. “É importante que as áreas técnicas sejam paritárias, com a sociedade civil participando de todas as fases dos processos, sendo responsáveis também pelas aprovações dos projetos.”, ressalta.

É possível que as organizações contratem intermediários para a captação sendo remunerados com o próprio valor do projeto. Porém, o teto da bonificação ainda não está definido. Leonardi defende que o uso de intermediários é positivo desde que seja estabelecido claramente um percentual. “Assim como acontece com os projetos de cultura, o valor de 15% é razoável para todos os interessados”.  

“O FIA (Fundo para Infância e Adolescência) é uma evolução na questão de possibilitar que a dedução fiscal seja feita no mesmo ano em que se realiza a doação. O Ministério da Saúde deveria aproveitar o que se tem de melhor nas leis já existentes levando em considerações as experiências para aperfeiçoar a regulamentação dos programas”, completa Leonardi.

 

Contato PRONON e PRONAS / PCD

Coordenação de Projetos de Cooperação Nacional (CPCN/CGPC/DESID/SE/MS)
Endereço: SAF SUL – Trecho 2 Edifício Premium, Torre I, 1º andar, SALA 105/ 106
CEP: 70.070-600  –  BRASÍLIA/DF
Telefone: (61) 3315-7853 
E-mail:  pronon@saude.gov.br 
pronas@saude.gov.br

Secretaria de Cultura e Fundarpe lançam editais do Funcultura 2011/2012


Fundo de Incentivo injetará mais de R$ 33 milhões na produção artístico-cultural pernambucana. Produtores têm até 12/01 para fazerem ou atualizarem seus cadastros culturais.



A Secretaria de Cultura do Estado (Secult-PE) e a Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe) lançam a edição 2011/2012 dos editais do Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura (Funcultura). O fundo injetará o aporte de R$ 33,5 milhões na produção cultural do estado. Para o Funcultura Independente serão disponibilizados R$ 22 milhões e para o Funcultura Audiovisual, R$ 11,5 milhões – R$ 3,5 milhões a mais do que no último edital.

Documentação necessária

Anexo I – Formulário para Produtor Cultural 

Anexo II – Formulário de Inscrição para Projetos Culturais

Plano Básico de Divulgação

Renovação de cadastro do Produtor Cultural 

Inscrição cadastro de Produtor

 

Os editais terão inscrições abertas a partir de 16 de janeiro de 2012, no entanto os prazos para seus términos são diferenciados.

Funcultura Independente
Inscrições: 16 de janeiro a 29 de fevereiro de 2012.
A partir da data de término de apresentação dos projetos, a Comissão Deliberativa do FUNCULTURA/SIC terá previsão de 120 (cento e vinte) dias para divulgar a relação dos projetos que serão incentivados, podendo este prazo ser adiado por decisão da maioria dos integrantes da Comissão Deliberativa.

Funcultura Audiovisual
Inscrições: 16 de janeiro a 17 de fevereiro de 2012.
Publicação na Internet dos projetos selecionados para análise técnica: até 7 de março de 2012

Lembrando que os produtores culturais têm o prazo limite de 12 de janeiro para atualizarem seus cadastros de produtores culturais (CPC) para concorrer nos editais. Devem comparecer à Fundarpe, de segunda a quinta-feira, de 8h às 12h.
Os anexos e formulários do Funcultura Independente em breve estarão disponíveis. Para ter acesso aos editais do Funcultura clique aqui

17ª edição do Prêmio Direitos Humanos


Fonte: Janaelle Neri (Grupo Yahoo Fomento do 3º Setor)

A Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR) abriu inscrições para sugestões ao Prêmio Direitos Humanos – edição 2011 – 17ª Edição. O prêmio, composto por uma escultura e um certificado, é concedido pelo Governo Federal a pessoas e organizações cujos trabalhos na área dos Direitos Humanos sejam merecedores de reconhecimento e destaque por toda a sociedade.Poderão ser sugeridas pessoas físicas ou jurídicas que desenvolvam ações na área dos Direitos Humanos.

As sugestões deverão ser encaminhadas para o endereço eletrônico

pdh@sdh.gov.br até o prazo final de 30 de outubro de 2011. Os vencedores serão conhecidos em dezembro, ponto alto das comemorações da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Na edição de 2011 foram incluídas três novas categorias: Centros de Referência em Direitos Humanos, Garantia dos Direitos da População em Situação de Rua e Diversidade Religiosa.Ao longo de 17 anos de existência já foram agraciadas diversas pessoas e instituições. Entre as personalidades premiadas estão: Herbert de Souza, o Betinho, o Cardeal Emérito de São Paulo, Dom Paulo Evaristo Arns, a novelista Glória Perez, o padre Júlio Lancelotti, ex-ministro da Justiça, José Gregori, Milton Santos (post morten), o Padre Jaime Crowe, Manoel Bezerra de Mattos Neto, Elzita Santos de Santa Cruz Oliveira, entre outros. Das ONGs contempladas estão: Central Única de Favelas, Fórum em Defesa dos Direitos Indígenas, Comissão Pastoral da Terra, Aldeias Infantis SOS Brasil – Amazonas, Grupo Cultural AfroReggae, Articulação no Semi-árido Brasileiro, entre outras.

Programa Viva Leite mudou de endereço


Olá!

O Programa Viva Leite, destinado ao fornecimento de leite à população de baixa renda do estado de São Paulo, mudou de casa.  O que antes era de responsabilidade da Secretaria Estadual de Abastecimento, agora é gerido e desenvolvido pela Secretaria de Desenvolvimento Social do Estado de São Paulo.

Vejam a seguir um resumo do projeto e algumas informações  relacionadas a este excelente projeto social:

Vivaleite

O que é: projeto social de distribuição gratuita de leite pasteurizado, com teor de gordura mínimo e alto valor nutricional.

Objetivo: oferecer um complexo alimentar para famílias de baixa renda, com crianças e idosos em situação de risco nutricional, melhorando suas condições de vida e promovendo, de forma paralela à intervenção social direta, ações que visam o desenvolvimento comunitário, o resgate da cidadania e a inclusão social de seu público-alvo.

De forma simultânea, tem por objetivo agregar recursos financeiros ao setor leiteiro, ajudando no escoamento de 7,75% da produção Paulista de leite tipo C, o que permite a criação e manutenção de empregos no campo, causando impacto no fluxo migratório bem como nos efeitos negativos dele decorrentes.

Auxílio: 15 litros de leite por mês.

Quem pode se beneficiar: famílias com renda total de até dois salários mínimos, que tenham crianças de 6 meses a 6 anos  e 11 meses de idade ou idosos com mais de 60 anos, em risco nutricional. A cota mensal de distribuição do produto é de 10,4 milhões de litros de leite enriquecido, beneficiando 700 mil famílias, destes 89.000 idosos em todo o Estado.

Parcerias: na capital e Grande São Paulo, a distribuição do leite é feita em parceria com entidades assistenciais. Já no interior paulista, o produto chega até os beneficiários por meio de convênios com as prefeituras.

Para conseguir mais informações, efetuarem o cadastramento ou até mesmo se cadastrar para entregas, entrem em contato através do nº 0800-554566.

Para conhecer mais sobre este programa e outros, acessem http://www.desenvolvimentosocial.sp.gov.br/portal.php/viva_leite