Curso da Série Planejamento e Gestão Social em SP


Olá pessoal, sejam bem vindos ao Programa de Treinamento Instituto Sabedoria

O Instituto Sabedoria, em parceria com a Igreja Presbiteriana da Penha e apoio da Alavanca Social e Hebron, convidam para o curso PLANEJAMENTO E GESTÃO SOCIAL: A ORGANIZAÇÃO PARA O SUCESSO DE ONGs. (neste link terão acesso à página do evento e todas as informações)

O curso vem com a proposta de incentivar ações como pesquisa, preparação, planejamento, organização, gestão, ferramentas para estas atividades e conceitos, através de teorias, práticas, diálogos e informações que permitam o entendimento no momento de realizar o planejamento e gerir tarefas em Organizações Sociais.

Convidamos para fazerem a PRE-INSCRIÇÃO que permitirá a sequência de matrícula no evento. Para isso cliquem no link acima ou no ícone abaixo.

pré-inscrição

Após a sua pré-inscrição entraremos em contato para as orientações finais para efetuar o pagamento.


Este mês, neste local, estamos concedendo 10% de desconto em nossos preços aplicados por lá, passando o valor final para R$ 175,50.


Você poderá fazer a pré-inscrição através do link acima ou em nossa página CONTATO, deixando seus dados para podemos conversar posteriormente.


Nos veremos no evento!


Facilitador: Marcelo Rachid de Paula

Baixe o resumo profissional!


Cartaz Curso Captação _Igreja Prebiteriana_SP_jul16

Para outros eventos baixe nossa AGENDA DO MÊS DE JULHO.

Curso da Série Criação de ONGs e Projetos Sociais em SP


Olá pessoal, sejam bem vindos ao Programa de Treinamento Instituto Sabedoria

O Instituto Sabedoria, em parceria com a Igreja Presbiteriana da Penha e apoio da Alavanca Social e Hebron, convidam para o curso COMO FUNDAR ONGS: ASPECTOS ESTRUTURAIS E LEGALIZAÇÃO. (neste link terão acesso à página do evento e todas as informações)

O curso vem com a proposta de incentivar ações como observação, idealização, criação, planejamento, organização e entendimento através de teorias, práticas, diálogos e informações que permitam o entendimento no momento da criação de uma Organização Social.

Convidamos também para fazerem a PRE-INSCRIÇÃO que permitirá a sequência de matrícula no evento. Para isso cliquem no link acima ou no ícone abaixo.

pré-inscrição

Após a sua pré-inscrição entraremos em contato para as orientações finais para efetuar o pagamento.

Você poderá fazer a pré-inscrição através do link acima ou em nossa página CONTATO, deixando seus dados para podemos conversar posteriormente.


Nos veremos no evento!


Facilitador: Marcelo Rachid de Paula

Baixe o resumo profissional!

Cartaz Como fundar ongs


Para outros eventos baixe nossa AGENDA DO MÊS DE JULHO.

Instituto Sabedoria convida para cursos do Terceiro Setor em SP


Olá pessoal!

Sejam bem vindos ao Programa de Treinamento Instituto Sabedoria.

Estamos passando para convidar a todos para os eventos do Terceiro Setor (cursos) que acontecerão em São Paulo no mês de Julho.

Para poderem acessar a Programação, bem como todas as informações para sua boa participação, veja a seguir os links:


COMO FUNDAR ONGS

PLANEJAMENTO E GESTÃO SOCIAL

OFICINA DE CAPTAÇÃO DE RECURSOS ATRAVÉS DA NOTA FISCAL PAULISTA


Faça a sua PRÉ-INSCRIÇÃO que faremos o contato em seguida para orientações sobre a efetivação da matrícula.

Vejam a seguir o flyer chamada dos eventos:

Mini cartaz divulgação ipp_jul16

COMPARTILHE COM SUA REDE DE AMIGOS E CONTATOS.

 

 

EMPRESÁRIO DE GOIÂNIA CRIA GELADEIRA SOLIDÁRIA PARA MORADORES DE RUA


Olá pessoal, bom dia!

Estamos em junho de 2016, o país  passa por uma crise político/institucional/econômica que está trazendo muitas dificuldades e desafios para aqueles que labutam diariamente para transformar seu contexto em algo melhor e, consequentemente, de todos aos seu redor. Nos meios de comunicação atuais, as únicas notícias são corrupção, impunidade, crimes, estupro, morte, esperteza, levar vantagem, etc., gerando uma energia negativa que afunda ainda mais as esperanças de um povo pacífico por natureza, mas que trabalha para dias melhores.

No meio desta triste realidade, vemos sopros e alentos de pessoas que faz o possível para trazerem soluções, mesmo que pequenas para alguns, mas enormes para outros que estão carentes de alguma coisa e precisando de apoio e ajuda. Nesta linha de pensamento quero compartilhar hoje uma bela atitude de um empresário de Goiânia que idealizou uma forma de ajudar pessoas através de um projeto simples e eficaz na luta contra a fome. Para conhecerem mais detalhes desta maravilhosa ação, leiam a reportagem que encontrei na página do G1.com. Este projeto foi colocado em prática há algum tempo, mas considero sempre atual pela importância para determinadas camadas da sociedade.

Vamos gerar uma energia contrária a tudo isso que está acontecendo e transformar o Brasil na potência que ele é e representa no cenário mundial. Veja a seguir a matéria:

geladeira solidária

A ideia já não é novidade em alguns países da Europa e até em uma cidadezinha da Arábia Saudita, mas o que ela representa é altamente gratificante: um passo – pequeno, mas ainda assim muito significativo – em direção à conscientização do quanto de comida desperdiçamos diariamente. 
O empresário goiano Fernando Barcelos criou o Projeto Geladeira Solidária e a instalou na calçada de seu comércio, na Rua Sete, localizada no centro de Goiânia.

Em entrevista ao G1, o empresário conta como teve a ideia: “Estava saindo do trabalho e vi uma mulher com um recém-nascido pedindo comida. Eu dei para eles durante três dias. Em casa, vi na internet que tinham feito isso [colocado geladeira na rua] na Holanda e na Arábia Saudita e resolvi fazer aqui também. Espero que seja a primeira de muitas, que outras pessoas vejam e façam o mesmo em outros lugares”.

O local onde a geladeira foi instalada é conhecido pela quantidade de moradores de rua e de usuários de drogas que perambulam por lá.

A intenção do empresário é despertar nas pessoas a consciência do quanto se é desperdiçado de comida por dia: “Nós jogamos fora quase um terço do que consumimos em um ano. Isso é muita coisa. Se tivermos noção de que outras pessoas que não tem nada precisam de alimento, talvez o desperdício seja menor“.

Quem tem fome não tem escolha…

Desde que a geladeira solidária foi instalada o movimento tem sido grande. Muitos já foram beneficiados por esse simples gesto e contam que o período da noite é certamente o mais difícil para quem não tem um lar.

É também o período em que passam mais fome na maioria das vezes.

“As pessoas ficam com receio, não ajudam muito. Os lugares que têm comida e que nos ajudam já estão fechados”, conta Washington Gomes, de 43 anos. “A ideia é inovadora, melhor que dar dinheiro. Já me ajudou quando eu estava com fome. Comi uma pizza aí esses dias, estava muito boa”, completou.

O supérfluo para uns é fundamental para outros…

Fernando não cuida da geladeira sozinho.

Outras pessoas se voluntariaram para cuidar do projeto, como é o caso de Raiany de Sousa, de 24 anos. A auxiliar administrativa conta que quando sai à noite, a geladeira está repleta de alimentos, mas quando chega pela manhã, está vazia.

Não há restrição de horários quanto ao uso da geladeira solidária. Ela está disponível 24 horas por dia, todos os dias da semana, mas é recolhida no final de semana. Raiany ainda contou que todos respeitam o projeto e que nunca encontrou nada inesperado dentro dela.

Não é necessário realizar qualquer tipo de cadastro para pegar os alimentos da geladeira e, também, não há limitações quanto à quantidade: “vai da consciência de cada um”, afirma Fernando.

Reabastecendo a geladeira solidária…

Para doar alimentos à geladeira, é preciso seguir algumas regras: os alimentos têm de estar fechados, dentro do prazo de validade e com a data de fabricação na embalagem. Não é permitido colocar bebidas alcoólicas, ovos, carnes ou peixes crus e pacotes abertos.

“Nós sempre colocamos doações quando vemos que a geladeira está vazia. Pessoas da região que já viram a ideia também vêm contribuir e até um restaurante aqui da rua”, diz Fernando, referindo-se ao restaurante do empresário Eustáquio Ribeiro, de 48 anos.

Eustáquio doa marmitas todos os dias: “colocamos a comida do dia com a data em que foi feita na embalagem e deixamos lá. Acho que é uma ideia muito interessante. Sempre tem algo que podemos doar e tem muita gente precisando. Se todo mundo fizer um pouquinho, o todo agradece”, afirma.

O desperdício é grande e o número de famintos também

De acordo com uma matéria publicada em agosto pela Revista Galileu, a ONU (Organização das Nações Unidas) divulgou números que indicam que o problema é muito mais grave do que se imagina: 1,3 bilhão de toneladas de comida é desperdiçado por ano.

Esse valor representa mais de um terço de todos os alimentos produzidos para o consumo humano.

“Nos lugares em que homens e mulheres e crianças carregam o fardo da fome, um discurso sobre democracia e liberdade que não reconheça estes aspectos materiais pode soar falso e minar os valores que procuramos promover”. (Nelson Mandela).

O mais impressionante é que mais de 800 milhões de pessoas no mundo não têm o suficiente para comer.

Não é preciso ser um gênio da matemática para chegar à conclusão que o que se desperdiça poderia acabar com o problema da fome no mundo, não é mesmo?

Claro que não é tão simples assim, há vários outros fatores envolvidos, como por exemplo, a má distribuição dos recursos, mas não há dúvidas que esses números cairiam significativamente.

O que cada cidadão deve refletir é o que ele pode fazer para contribuir para a diminuição desses números. Afinal de contas, esse é um problema que nos afeta enquanto humanidade.

Fonte: g1.globo.com.


Agora é sua vez. Qual é a sua contribuição para a solução dos problemas que afligem a humanidade?

Nós queremos te ouvir!


Estar capacitado para a tarefa é ter o poder de transformar você e sua comunidade!

Seja bem vindo ao PROGRAMA DE TREINAMENTO INSTITUTO SABEDORIA! 


A criação de ONGs e Projetos Sociais


banner curso ongs2

Moro num bairro residencial bem tranquilo, aquele estilo onde as pessoas em dias de muito calor saem para a frente da casa e formam grupos que às vezes ficam até bem tarde da noite conversando de forma bem descontraída. Porém, apesar desta tranquilidade, observo diariamente algumas situações que, havendo o esforço de comunidade, poder público e empresas, pode haver avanços positivos na vida das pessoas que por aqui moram e transitam diariamente. Porque estou falando isso? Justamente para mostrar que todas as pessoas, sem exceção, tem condições e capacidade de transformar o meio onde vive e, da sua decisão e escolhas pessoais, irá resultar e impactar na vida de todos.

A criação de Projetos Sociais, que podem se tornar oficiais através de ONGs ou Instituições voltadas para a melhoria das comunidades, é um belo instrumento de transformação, e que possibilita meios, recursos, carinho e amparo a todos que estão ao seu redor. É magnífico ver estes projetos nascendo e fazendo renascer, em muitos casos, a esperança de terem situações mais equilibradas, apesar dos desafios e obstáculos que a vida nos envia. Já presenciei, seja profissionalmente ou como voluntário, do nascimento de diversos projetos deste tipo. Não importa se pequeno ou grande, todos eles causam seu impacto positivo.

Pensando nisso, para ajudar pessoas a entender, ter um olhar diferente, saber planejar, desenvolver as ideias de forma criativa, estruturar, formalizar o projeto, legalizar e iniciar o trabalho. Tudo isso num ótimo curso com 16 horas de duração, 2 dias intensos de debates, práticas, dinâmicas e teoria que pode ajudar as pessoas a ordenar seu desejo de transformação em sua comunidade.

Falo do curso COMO FUNDAR ONGS: ASPECTOS ESTRUTURAIS E LEGALIZAÇÃO, que trata exatamente desta visão e ações nesta direção.

Para se inscrever e conhecer o local onde o curso será realizado, a programação completa é só clicar no nome do curso acima ou no ícone abaixo:

Sejam todos bem vindos ao Programa de Treinamento Instituto Sabedoria / Alavanca Social

Apoio: Igreja Presbiteriana da Penha e Hebron.

Vamos transformar a sua comunidade? Espero vocês por lá!

ESPERAMOS VOCÊS POR LÁ!

SEJAM BEM VINDOS!

Garoto de 12 anos cria Organização e entrega mais de 400 bicicletas para crianças da Índia


Além de doar as bicicletas, ele ensina as crianças a usá-las.

Além de doar as bicicletas, ele ensina as crianças a usá-las.

Quando visitou a Índia pela primeira vez, na companhia do pai, que ali trabalha, Thomas Hircock tinha apenas 12 anos. No entanto, a tenra idade não impediu o jovem norte-americano de ficar chocado com a pobreza que afeta muitas famílias (e crianças) daquele país e foi assim que nasceu o Bike Club, projeto sem fins lucrativos que doa bicicletas aos meninos e meninas indianas para lhes permitir ir à escola.
“As condições de vida lá são muito diferentes para as crianças da minha idade. Se eu vivesse lá, provavelmente trabalharia numa fábrica, não teria educação”, sublinha o jovem em entrevista à BBC, acrescentando que, ao deparar-se com aquela realidade, quis tentar perceber o que poderia fazer para ajudar, perguntando às crianças do que precisavam.
A resposta foi, numa primeira análise, surpreendente. “Bicicletas”. Mas não tardou até que Thomas Hircock a compreendesse. “Bicicletas? Bicicletas porquê? Porque é a forma de chegar à escola”, explica o mentor do projeto, que, em conjunto com a família, tem trabalhado para facilitar a vida de jovens como ele próprio que percorrem quilómetros a pé para ter aulas.
Quando regressou a Filadélfia, a sua cidade natal, o rapaz norte-americano lançou uma campanha de angariação de fundos na escola para reunir dinheiro para doar as bicicletas desejadas às crianças da Índia, na sua maioria pobres e muitas delas pertencentes a castas inferiores.Acesso a transporte é acesso à educação

“Da primeira vez conseguimos juntar dinheiro para oito bicicletas”, recorda Hircock. “Foi a primeira vez que fiz algo do género. Fiquei admirado e eles também ficaram, por terem pessoas a ajudá-los”, confessa o jovem que, com a colaboração da comunidade, conseguiu já entregar 400 bicicletas em locais que “não são os mais seguros”, mas são aqueles “onde as crianças mais precisam”.
Além de transporte, estas doações significam, para centenas de meninos e meninas, acesso à educação. Mas, antes de chegar à escola, têm, habitualmente, outra lição a aprender. “Às vezes, quando entregamos as bicicletas, eles não sabem andar”, revela o benfeitor norte-americano que, da última vez que esteve na Índia, ensinou várias crianças a pedalar. “Foi muito divertido”, partilha.
A experiência tem sido muito bem-sucedida e o próprio Thomas Hircock admite que tem aprendido muito, nomeadamente que um simples meio de transporte pode ser revolucionário. “Dar uma bicicleta a estas crianças é torná-las mais fortes, é dar-lhes poder. É uma coisa incrível de se fazer”, conclui.

Cão-terapia: projeto social une equipe voluntária e animais


Nas cidades de Campinas, Itu, Sorocaba e Piracicaba, todas no interior de São Paulo, 20 profissionais voluntários e 12 cães terapeutas, além de cinco que serão integrados à equipe ainda neste semestre, dão forma a um projeto amigo da saúde: o Medicão Terapeuta Multidisciplinar.

Os profissionais que integram o projeto utilizam o potencial canino para melhorar e, muitas vezes, mudar a vida de pacientes em tratamento, estudantes e idosos destas cidades.

O projeto Medicão Terapeuta Multidisciplinar visita regularmente os pacientes do Hospital Celso Pierro, crianças com câncer do Centro Infantil Boldrini e da Casa Ronald Mc Donald, pessoas com deficiências mental e física do Centro Educacional Integrado (CEI) e pacientes com deficiência visual do Instituto Pró-Visão.

A equipe também atua na área pedagógica, com os estudantes do Colégio Provecto, e na geriátrica, com idosos do Lar dos Velhinhos de Campinas. Em Itu, a visita é realizada no Instituto de Cegos Maria Luiza, em Sorocaba, no Instituto de Cegos ASAC, já em Piracicaba, no Hospital Unimed.

Criado para promover a “cão-terapia”, o projeto teve início há mais de 10 anos, quando sequer tinha nome; mas já nascia com uma equipe de peso: o cinotécnico e adestrador de cães Hélio Rovay Júnior fez a ideia ganhar vida com a ajuda da esposa, a pedagoga Adriana Maraccini, e a participação especial de Nina, sua cadela da raça Labrador.

Juntos, eles atendiam a um grupo de seis crianças com Síndrome de Down em um instituto de Campinas. A intenção de criar o projeto surgiu da paixão de Hélio Rovay por cães e da curiosidade sobre a Síndrome de Down – ele deu um jeito de unir os dois interesses e passou a estudar a “cão-terapia”.

“Comecei a analisar e isso acabou virando um vício”, comenta. Mesmo tendo de parar com as atividades do projeto durante algum tempo por falta de recursos, Hélio Rovay não abandonou a ideia; ou, como ele mesmo conta, não permitiram que ele abandonasse: “As pessoas diziam que eu não podia parar.

Hoje, o projeto já cresceu tanto que não daria mesmo para interromper”. A continuação das atividades foi permitida pelo apoio de empresas como a Bayer HealthCare, que desde 2009, auxilia com o custeio de uniformes, combustível e no tratamento veterinário necessário ao bem-estar dos animais.

“Optamos por destinar recursos a este projeto por acreditarmos nos benefícios do tratamento humanizado com a utilização de animais, sendo que cada paciente demonstra visíveis progressos ao receber esta visita especial”, comenta Gilberto Neto, gerente da unidade de Animais de Companhia da Saúde Animal, da Bayer HealthCare.

O trabalho minucioso envolve a seleção de animais e a manutenção de sua saúde, para que o mesmo possa circular em ambientes que exigem assepsia e boa conduta.

”O cão precisa ser confiante e estável. Há ainda requisitos básicos como ele não ser medroso ou tímido, além de permitir que as pessoas façam afagos. Inclusive, o animal recebe adestramento para que, em uma eventual interação mais exaltada, em que a pessoa puxe a orelha ou rabo, ele não tenha uma reação agressiva”, explica Hélio Hovay.

Os animais da equipe recebem uma dieta específica e acompanhamento veterinário para a aplicação de medicamentos contra parasitas, como pulgas e carrapatos, além de vermífugos, que os protegem contra a ação de vermes.

A rotina no dia das visitas inclui um banho detalhista com produtos hipoalergênicos, que atuam na segurança tanto dos animais, quanto das pessoas com quem eles terão contato. Para o fundador do projeto, tanta dedicação tem as suas recompensas.

“Nós sempre dizemos que juntos, fazemos a diferença. Esse trabalho dá a sensação de missão cumprida, pois sabemos que pequenas ações influenciam a vida das pessoas. A equipe, junta, de fato, faz a diferença”, finaliza Hélio Hovay.

Fonte: Cibele Pereira (http://www.animalivre.com.br)