Alavanca Social ministrará curso de Captação de Recursos na Fesp-SP


folder-curso-cultural-fesp

Olá pessoal!

Neste sábado (05/10/13) estaremos na Fundação Escola de Sociologia e Política – Fesp-SP para ministrar aula sobre Captação e Administração de Recursos na área cultural.

Esta aula faz parte do 1º módulo do Curso de extensão sobre Gestão Cultural e tratará dos principais aspectos para a captação de recursos nesta área maravilhosa e que movimenta o país de norte a sul.

Este curso terá ainda mais 2 módulos, para aqueles que desejarem se aprofundar mais sobre o tema Gestão Cultural, como forma de promover e preparar pessoas para esta prática.

Para aqueles que não puderam participar deste 1º Módulo, ainda há tempo para se inscrever nos módulos seguintes, já que este ainda trata dos assuntos de forma introdutória.

Esperamos vocês por lá!

Entrem em contato com a Fesp e reserve a sua inscrição para os próximos módulos:  http://www.fespsp.org.br/fespsp-inscricao/extensao ou ligue para 0800 7777 800.

Grande abraço

 

Anúncios

Alavanca Social em ação na Fesp-SP – Curso de Mediação Cultural


 

FAÇA JÁ A SUA INSCRIÇÃO E NÃO PERCA ESTA OPORTUNIDADE!

A Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo – FESP-SP, convida a todos para participarem do curso “CAPACITAÇÃO TÉCNICA DO MEDIADOR CULTURAL COMO DESENVOLVER AÇÕES E CAPTAR RECURSOS”.

No curso, busca-se oferecer conceitos, cases, estruturas de projetos e espaços de criação que atendem às essas perguntas, com o objetivo de preparar mais pessoas para entrarem nesse movimento de melhoria econômica e de busca de maior participação política e artística, além de formas de planejamento e captação de recursos.

O curso acontecerá em diversos módulos e caberá à Alavanca Social, ministrar aquele que tratará da Captação de Recursos.

Contamos com a sua presença! Vejam à seguir a chamada oficial da Fesp-SP.

FAÇA JÁ A SUA INSCRIÇÃO E NÃO PERCA ESTA OPORTUNIDADE!

Para informações mais detalhadas acesse: http://www.fespsp.org.br/extensao/artc_bibci_mediadorcultural.html

Convite para curso de CAPACITAÇÃO TÉCNICA DO MEDIADOR CULTURAL: COMO DESENVOLVER AÇÕES E CAPTAR RECURSOS



         

Ainda com algumas vagas disponíveis!

Inicio em 07/05/12.          INSCREVA-SE!

A Alavanca Social, em parceria coma Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo – FESP-SP, estará fazendo parte do grupo de docentes que ministrará o curso CAPACITAÇÃO TÉCNICA DO MEDIADOR CULTURAL COMO DESENVOLVER AÇÕES E CAPTAR RECURSOS, ficando responsável pelo Módulo que tratará da Captação de Recursos.

O curso terá inicio em 07/05/2012 e concluirá em 13/06/2012, com as aulas acontecendo durante a semana, às segundas e quartas, das 19:00 às 22:30. O módulo que tratará da Captação de Recursos e que estaremos responsáveis será realizado nos dias 04 e 06/06/2012.

Objetivos

O curso tem por objetivo apresentar uma estrutura conceitual e técnica que permite ao cursista planejar e iniciar ações culturais com diferentes grupos sociais e culturais, atendendo suas necessidades e avanços específicos; dialogar com equipes multidisciplinares, acompanhar e avaliar os resultados obtidos. Afirma a importância do trabalho do mediador cultural para o crescimento econômico do país e a solidificação da base democrática. Ao tratar de cultura, o curso desenvolve-se permeando as áreas da arte educação, comunicação, ciências da informação, política, sociologia, educação e administração; ao pensar a prática, entende como ação transformadora que pede atitude inventiva e reflexiva.

Assim, no presente curso, busca-se oferecer conceitos, cases, estruturas de projetos e espaços de criação que atendem às essas perguntas, com o objetivo de preparar mais pessoas para entrarem nesse movimento de melhoria econômica e de busca de maior participação política e artística. Nesse sentido, são objetivos específicos:

– preparar o profissional para desenvolver projetos de ação cultural;
– apresentar conceitos básicos que permitam interpretar diferentes realidades sociais e culturais;
– apresentar e analisar experiências com ação cultural;
– propor estruturas de ação para viabilizar projetos de ação cultural;
– criar projetos de ação cultural.

Público Alvo

Profissionais do terceiro setor e de qualquer área de atuação; estudantes com graduação concluída ou em curso de qualquer área do saber, bem como para interessados em atuar com comunidades, nas áreas da cultura, informação, educação, arte e política.

Valor do Curso: R$ 650,00 divididos em 03 parcelas.

Para mais informações acesse: http://www.fespsp.org.br/extensao/artc_bibci_mediadorcultural.html

Faça já sua inscrição!

Poucas vagas ainda disponíveis! 

http://www.fespsp.org.br/extensao/fespextensao/Pages/Inscricao.aspx

Local:

Unidade General Jardim
Rua General Jardim, 522 – Vila Buarque
São Paulo – SP
Cep:01223-010
Próximo ao Metrô República ou Santa Cecília
Tel.: (11) 3123-7800 / 3255-2001

Lei Rouanet se aproxima do fim aos 20 anos


Publicado por Victoria Almeida

Apesar dos constantes aprimoramentos, Lei Federal de Incentivo à Cultura completa duas décadas enfrentando críticas e prestes a ser substituída por projeto que já tramita no Congresso. Mas mudança iminente também preocupa artistas e patrocinadores.”

*Marcio Maturana*

No dia 23/12/2011, a Lei Rouanet completou 20 anos. Em duas décadas de elogios e críticas, a Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei 8.313/91) captou R$ 9,129 bilhões, via abatimento de até 6% do Imposto de Renda.

Será substituída pelo projeto do governo que cria o Procultura (PL 6.722/10) e já foi aprovado na Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados.

O objetivo do Procultura é promover mais equilíbrio, pois o sistema atual, em que empresas escolhem as produções que patrocinam, é acusado de privilegiar o eixo Rio-São Paulo e artistas que têm maior projeção. Nesses 20 anos, o Sudeste ficou com 80% da verba. Sul, Nordeste, Centro-Oeste e Norte, com 10%, 6%, 3% e 1%.

— Realmente é preciso que a lei passe por uma revisão, mas isso não quer dizer que ela não funcione — alega o secretário de Fomento e Incentivo do Ministério da Cultura, Henilton Menezes.

O Procultura deve destinar 20% da renúncia fiscal ao Fundo Nacional de Cultura, para que o governo decida onde, como e quando investi-lo. Uma das ideias é que cada estado receba pelo menos 2% do fundo. A expectativa é que o Procultura entre em vigor não antes de 2013, já que mudanças na arrecadação de impostos só podem passar a valer no ano fiscal subsequente.

Menezes considera injustas as críticas ao patrocínio para artistas famosos e ­argumenta que a Lei Rouanet foi criada para todos. Ele acrescenta que o cenário cultural hoje é completamente diferente de 20 anos atrás e ressalta o resgate de patrimônios como o Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

Dois perfis:

O economista Bruno Amaro, sócio-diretor da Mona Estratégia Cultural, enxerga dois perfis de patrocinadores: os que preferem o marketing imediato porque têm o grande público como cliente (bancos, operadoras de celular, lojas de varejo) e os que pensam mais em imagem institucional, porque trabalham com infraestrutura (construtoras, montadoras de automóveis).

— O mercado ainda está imaturo para mudar. Hoje a Lei Rouanet financia metade dos projetos culturais no país — acredita Amaro, que intermedeia a relação entre produtores e patrocinadores.

A Meritor, empresa do setor de autopeças, prioriza a responsabilidade social quando usa a Lei Rouanet.

— A lei permite conciliar exposição da marca e contribuição com as comunidades onde a gente atua — explica o gerente de Marketing, Luis Maurício Marques.

Este ano, a Meritor patrocinou o Núcleo Sebastian, que atende 80 crianças com aulas de dança em Osasco (SP) e eventos de grande público, como o filme O homem do futuro, com Wagner Moura e Alinne Moraes.

— A ideia não é obter retorno financeiro, tem que acreditar que o investimento social é interessante para todos — afirma Marques.

Os numeros do incentivo a cultura (em R$)<http://www.senado.gov.br/jornal/arquivos_jornal/avulsos/info717.htm> <http://www.senado.gov.br/jornal/arquivos_jornal/avulsos/info719.htm>