Alavanca Social em ação na cidade de Belo Horizonte


A Alavanca Social, a convite de seus parceiros ATN – Associação Telecentros de Informações e Negócios e IBM, ministrou em 30/10/12 o workshop Boas Práticas na Gestão de Organizações Sociais, que contou com a presença de parceiros locais, como a Ong Moradia e Cidadania e a KNH – Kinder Not Hilfe, e representantes de diversas organizações sociais da cidade de Belo Horizonte e cidades vizinhas.

O evento ocorreu durante todo o dia, intercalando a teorização, práticas e debates que estimularam os participantes numa nova realidade em diversas áreas de atuação como: identidade organizacional, legalização, ética e conduta, estruturação interna e externa, bem como assuntos relacionados à sustentabilidade organizacional como: ferramentas de gestão, planejamento estratégico, plano de negócios, elaboração de projetos, plano de captação de recursos, entre outros.

Fomos muito bem recebidos e com os participantes interessados em novos conhecimentos e possibilidades.

Também foram definidas a sequência do projeto da ATN/IBM, que incluirá um curso online de 40 horas, além da participação de todos em comunidades criadas dentro do ambiente da Rede Colaborativa IBM Lotus Connections, que permitirá um aprofundamento dos assuntos e com a clara intenção de promover o conhecimento como forma de crescimento pessoal e profissional, além de proporcionar possibilidades de sustentabilidade nas organizações.

Dentro da Rede Colaborativa, caberá a Alavanca Social uma espécie de tutoria nas questões e dúvidas levantadas pelas pessoas e até orientações à distância, para colaborar com suas atividades diárias.

Agradecimentos especiais à Rosiana da ATN que coordenou e organizou brilhantemente o evento e ao Augusto da ONG Moradia e Cidadania, que disponibilizou toda a estrutura necessária para que tudo corresse muito bem.

Os nossos agradecimentos também a todas as pessoas que puderam estar presentes. Esperamos ter contribuído um pouco em suas necessidades.

Até o próximo evento que acontecerá em 26/11/12 em Belém-PA .

Embrapa lança edital para empreendedores de tecnologia de alimentos


Seis tecnologias, desenvolvidas pela Embrapa Agroindústria de Alimentos, estão sendo ofertadas ao mercado no edital do projeto Incubação de Agroindústrias. O objetivo do edital é incentivar o desenvolvimento de empresas agroindustriais de alimentos a partir de tecnologias desenvolvidas pela unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) sediada no Rio de Janeiro.

O projeto Incubação de Agroindústrias conta com a parceria da Incubadora de Empresas de Base Tecnológicada Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), a Ineagro. As inscrições vão até o dia 15 de janeiro de 2012.


De acordo com o líder do projeto e pesquisador da Embrapa Agroindústria de Alimentos, Marcos Maia, o que se quer é “transformar uma
 tecnologia da Embrapa em negócio”. “Por meio da incubadora, a agroindústria nascente na área de alimentos vai receber o apoio necessário para desenvolver essa tecnologia como negócio”, observou.

Segundo ele, o processo, nesse caso, difere de outros editais porque “a ideia e a tecnologia estão com a Embrapa, não estão na cabeça do empreendedor. Por isso, o empreendedor tem, primeiro, que conhecer as tecnologias, entender as questões técnicas e tecnológicasda pesquisa, antes de elaborar um plano de negócio para entrar no edital de incubação”.

Após o encerramento das inscrições, a Embrapa e a Ineagro farão a primeira seleção dos empreendedores interessados em participar do edital. Os escolhidos entrarão, então, na etapa do processo denominada pré-incubação, que se estenderá por até quatro meses. Nesse período, as empresas nascentes conhecerão as tecnologias desenvolvidas pela Embrapa Agroindústria de Alimentos e receberão treinamento para que possam elaborar seus planos de negócios. 

“Se ele [o empreendedor] apresenta um bom plano de negócio, ele é incubado”, explica Maia. O período de incubação na Ineagro é de até dois anos. “Depois, dependendo do estágio em que ele está, é graduado e pode partir para a industrialização e comercialização do alimento”. O edital está aberto a empresas nascentes e também a micro empresas já constituídas, de todo o Brasil, que queiram desenvolver uma outra vertente de negócios.

As tecnologias desenvolvidas pela Empresa Agroindústria de Alimentos tratam do aproveitamento de carne de tilápia para a produção industrial de conservas e patês; processo de obtenção de palmito pupunha em conserva acidificada; aplicação de revestimento comestível para aumento da vida de prateleira in natura de palmito e de coco, preservando a característica de frescor;  processo de formulação de bebida do tipo repositor energético aplicado em suco de frutas; processo de formulação em pó para bebida a partir de café solúvel, extrato solúvel de soja e açúcar; aproveitamento da carne de rã para conservas e patês.

Fonte: Jornal do Brasil – Alana Gandra