Ação Visagismo na Fundação Dorina Nowill


MQ Hair e o Hair Stylist e visagista Claudio Germano promoveram no dia 6 de março a Ação Visagismo em parceria com a Fundação Dorina Nowill para Cegos

 

No dia 6 de março, Eva, Guida, Nanci, Nadia, Gisselena, Flávia, Tânia, Elaine, Irene e Rosângela, fizeram parte da ação de responsabilidade social idealizada pela MQ HairFundação Dorina Nowill para Cegos e o Hair Stylist/Visagista Claudio Germano. Na semana em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, a Ação Visagismo foi um presente para 10 mulheres com deficiência visual (cegas ou com baixa visão), frequentadoras da Fundação Dorina.

Acostumado com a arte de embelezar mulheres, Claudio Germano comandou o dia de transformação “Esse dia pra mim é um trabalho que eu sonhei fazer. Desde o primeiro momento a minha entrega e o comprometimento de todos os envolvidos foi incrível, estou realizando um sonho. Elas estavam precisando muito e vieram abertas à mudança. Pudemos proporcionar a essas mulheres um novo ciclo, uma nova forma de se sentirem e de serem percebidas pelos outros”. Afirma o Hair Stylist orgulhoso do trabalho de sua equipe o cabelereiro Ronni e a maquiadora e visagista Priscila Annd.

E não terminou neste dia, em 10 de abril de 2017 elas retornarão às mãos de Claudio Germano para a finalização do processo e relatarem os efeitos da transformação em suas vidas. “O visagismo é conhecido como a arte de criar uma imagem pessoal revelada a partir da linguagem visual (harmonia e estética), promovendo uma verdadeira transformação interior a partir do corte, coloração e outros métodos aplicados no processo. As mudanças de hoje serão assimiladas e incorporadas ao dia a dia delas, fortalecendo a autoestima e confiança.” Completa Claudio Germano formado em visagismo pelo Philip Hallawell.

As 10 participantes receberam dicas para o uso do secador de cabelo e da prancha, e foram presenteadas com o equipamento para treinarem em casa e transformá-lo em um item essencial para os cuidados com o novo look.

Mariana Fagundes da MQ Hair ressalta a importância de ações como esta na vida das pessoas. “A MQ sempre presa por proporcionar momentos de alegria através de nossos produtos, foi um orgulho para nós ver cada transformação finalizada e a vaidade e autoconfiança de cada mulher florescendo em seus rostos”. diz a gerente de marketing da marca.

Legenda: Esquerda para Direita

Kely Magalhães, supervisora do Serviços de Apoio à Inclusão, área de atendimento,

Hair Stylist/Visagista Claudio Germano

Mariana Fagundes Gerente de Marketing da MQ Hair

Sobre a Fundação Dorina Nowill para Cegos

A Fundação Dorina Nowill para Cegos trabalha há 71 anos pela a inclusão de pessoas cegas e com baixa visão em todo o Brasil. A instituição promove a autonomia e independência das pessoas com deficiência visual por meio de serviços gratuitos e especializados, além de produzir e distribuir materiais acessíveis em braille, áudio, digital acessível Daisy e impressos com fonte ampliada. Há também cursos e programas voltados à empregabilidade.

www.fundacaodorina.org.br | www.facebook.com/fundacaodorina

 

Sobre MQ Professional Hair Styling

Com atuação em todo o país por meio de seu e-commerce e com forte presença junto a distribuidores e representantes, a MQ Hair oferece em seu portfólio secadores, pranchas, modeladores de cachos, máquinas de corte e finalização para barba e cabelo e pedicuro. A marca foi criada em 2011 para atender às principais necessidades dos cabeleireiros, oferecendo produtos de alta qualidade, performance e tecnologia.

Onde Comprar:  www.mqprofessional.com.br  e principais lojas do ramo

sac@mqhair.com.br

Fone: 11 2306-4357

 

Sobre Claudio Germano Hair Stylist

Claudio Germano está intimamente ligado à harmonia. Por isso, sua criação de novas identidades busca a totalidade estética que diferencia cada indivíduo e os faz seres únicos. Formado em visagismo com Philip Hallawell – nome mundialmente conhecido quando se trata do tema – e especializado na Academia Tony & Guy, em Milão. É especialista em corte com máquina. A técnica, adquirida em sua experiência em uma rede francesa, foi aperfeiçoada por ele e proporciona o desfiado natural dos fios sem o efeito ‘arrepiado’ causado pela navalha. Atualmente participa dos principais eventos de moda do país, como o SPFW e, também frequentemente é convidado a dividir sua experiência em workshops por todo Brasil.

Neste Projeto Ação Visagismo Claudio Germano comando os trabalho com sua equipe: o cabeleireiro Ronni, a maquiadora e visagista Priscila Annd e o mestre do visagismo Philip Hallawell.

 

 

Informações à Imprensa
Renata Garcia Bernardes | renata.bernardes@eccopress.com.br
Carina Viana | carina.viana@eccopress.com.br
11 5543-0039 | 11 98326-8408 (WhatsApp)

Anúncios

Transformação além do Sentir


logo-dorina-novill

MQ Hair e o Hair Stylist e visagista Claudio Germano promovem no dia 6 de março a Ação Visagismo em parceria com a Fundação Dorina Nowill para Cegos

logo-mq

Com objetivo de contribuir para o resgate da autoestima de mulheres com deficiência visual (cegas ou com baixa visão), no dia 6 de março, às 9h da manhã, na Fundação Dorina, acontecerá um dia de transformação para as clientes da Instituição através de uma seção de visagismo. A inciativa faz parte de uma ação de responsabilidade social idealizada pela MQ Hair, Fundação Dorina Nowill para Cegos o Hair Stylist e Visagista Claudio Germano e sua equipe o cabeleireiro Ronni, a maquiadora e visagista Priscila Annd e o mestre do visagismo Philip Hallawell.

Na prática, 10 mulheres com deficiência visual participarão do Projeto Ação Visagismo. Nas mãos de Claudio Germano e equipe, dirão sim ao visagismo – também conhecido como a arte de criar uma imagem pessoal revelada a partir da linguagem visual (harmonia e estética), promovendo uma verdadeira transformação interior a partir do corte, coloração e outros métodos aplicados no processo.

“Retomar a rotina de atividades básicas como andar sozinho e com segurança, arrumar a cama, cozinhar, escolher a roupa, passam a ser um grande desafio para os frequentadores da Fundação Dorina”, afirma Kely Magalhães, supervisora do Serviços de Apoio à Inclusão, área de atendimento à pessoa com deficiência na instituição. “A reabilitação é um processo complexo e de altos e baixos e o visagismo contribui para aumentar a autoestima e proporcionar mais uma atividade de retomada das ações rotineiras”. Completa.

A MQ Hair, e sua missão de atender o segmento profissional da beleza, com equipamentos para cabelereiros, tem a honra de promover esta experiência única para mulheres que são prova de superação. Acrescenta a Gerente de Marketing da Marca, Mariana Fagundes, que em parceria com o Hair Stylist Claudio Germano puderam viabilizar a transformação. “É nosso propósito trazer o empoderamento através do visagismo, que vai além de um simples corte de cabelo. É o resgate da vaidade, que irão sentir o impacto através da percepção do outro, e nelas mesmas através de sinais arquetípicos.” Completa Claudio Germano forma

do em visagismo pelo Philip Hallawell.

Serviço:

Onde: Fundação Dorina Nowill para Cegos – Rua Doutor Diogo de Faria, 558

Data: 06 de março de 2017, segunda-feira

Horário: às 9h da manhã

Evento para mulheres cegas e com baixa visão atendidas na instituição

 

Sobre a Fundação Dorina Nowill para Cegos

A Fundação Dorina Nowill para Cegos trabalha há 70 anos pela a inclusão de pessoas cegas e com baixa visão em todo o Brasil. A instituição promove a autonomia e independência das pessoas com deficiência visual por meio de serviços gratuitos e especializados, além de produzir e distribuir materiais acessíveis em braille, áudio, digital acessível Daisy e impressos com fonte ampliada. Há também cursos e programas voltados à empregabilidade.

www.fundacaodorina.org.br | www.facebook.com/fundacaodorina

 

Sobre MQ Professional Hair Styling

Com atuação em todo o país por meio de seu e-commerce e com forte presença junto a distribuidores e representantes, a MQ Hair oferece em seu portfólio secadores, pranchas, modeladores de cachos, máquinas de corte e finalização para barba e cabelo e pedicuro. A marca foi criada em 2011 para atender às principais necessidades dos cabeleireiros, oferecendo produtos de alta qualidade, performance e tecnologia.

 

Onde Comprar:  www.mqprofessional.com.br  e principais lojas do ramo.

sac@mqhair.com.br

Fone: 11 2306-4357

 

Sobre Claudio Germano Hair Stylist

Claudio Germano está intimamente ligado à harmonia. Por isso, sua criação de novas identidades busca a totalidade estética que diferencia cada indivíduo e os faz seres únicos. Formado em visagismo com Philip Hallawell – nome mundialmente conhecido quando se trata do tema – e especializado na Academia Tony & Guy, em Milão. É especialista em corte com máquina. A técnica, adquirida em sua experiência em uma rede francesa, foi aperfeiçoada por ele e proporciona o desfiado natural dos fios sem o efeito ‘arrepiado’ causado pela navalha. Atualmente participa dos principais eventos de moda do país, como o SPFW e, também frequentemente é convidado a dividir sua experiência em workshops por todo Brasil.

 

Informações à Imprensa
Renata Garcia Bernardes | renata.bernardes@eccopress.com.br
Carina Viana | carina.viana@eccopress.com.br
11 5543-0039 | 11 98326-8408 (WhatsApp)

ONG Escadas promove evento em favor de mulheres estrangeiras refugiadas


Olá pessoal, bom dia!

Passando hoje para compartilhar um evento com vocês.

Trata-se do evento UM NOVO TEMPO DE VIDA, dedicado a mulheres estrangeiras refugiadas no Brasil, que será realizado pela ONG Escadas em parceria com o Centro Social Nossa Senhora Palotina.

Inscrevam-se e participem!

Vejam a seguir as informações sobre o evento:

evento-ministerio-das-escadas

A Ong Escadas,  em seu projeto NOVO TEMPO, mulheres estrangeiras refugiadas, em parceria com o abrigo Centro Social Nossa Senhora Palotina, promoverá um encontro entre as abrigadas e parceiros empreendedores, empregadores e entidades de capacitação.

Nosso foco no trabalho com essas mulheres é a empregabilidade, oferecendo a elas todos os recursos e apoio necessários para que possam ser inseridas no mercado de trabalho brasileiro.

O objetivo desse encontro é a promoção de um balcão de emprego, com encaminhamentos para vagas e cursos de capacitação, confecção e impressão de curriculuns, orientações profissionais, esclarecimentos de dúvidas em assuntos de imigração e afins.

Gostaríamos de convidá-los a nos apoiarem nessa ação. Sejam bem vindos!

Para maiores informações favor entrar em contato com:

Tina Costa  –  Email: min.escadas@gmail.com  –  Whatsapp: (11) 95992-1718

 

Brasileiras em ação no Nepal


Bom dia pessoal!

Acredito sempre que toda situação, por pior que possa parecer, sempre nos revela modelos e condições surpreendentes, que nos coloca a pensar em todo o potencial que temos para reverter determinadas situações.

Dentro desta linha de pensamento, trago-lhes um artigo publicado pela revista Responsabilidade Social.com e que mostra a força de algumas pessoas na luta para levar melhores condições a outros em condição de vulnerabilidade. Falo de mulheres que, após os terremotos no Nepal, encontraram forças para ajudar as pessoas em seu momento de dor e tristeza. Veja a seguir o relato:

Brasileiras em ação no Nepal

http://www.responsabilidadesocial.com/

16 DE JUNHO DE 2015 — LUÍSA CAVALCANTI, — EDIÇÃO Nº 193

Movidas pela oportunidade de ajudar as comunidades afetadas pelo terremoto no Nepal, as brasileiras Lena Tosta e Simone Nascimento se uniram para fazer sua contribuição. Aqui você conhecerá a história do projeto que elas estão desenvolvendo e, além disso, uma entrevista exclusiva com Lena pode ser conferida aqui.

LEVANTA NEPAL funciona como um coletivo que coloca em rede comunidades, voluntários individuais, organizações e doadores no resgate às condições fundamentais de dignidade às vilas rurais mais afetadas. Passada a primeira fase de ajuda emergencial Nepal, de doações em comida, remédios e barracas, seu foco agora está em colaborar na construção de abrigos temporários, escolas e banheiros que aguentem a monção e promover ações pontuais para ajudar no reestabelecimento das atividades comunitárias, com foco em famílias vulneráveis.

Lena e Simone escolheram começar por Jaundada, uma comunidade muito necessitada cujo tamanho se adequa à sua capacidade de ajudar equitativamente.

ABRACE JAUNDADA

Jaundada é uma comunidade Magar, uma das etnias mais antigas e atualmente a mais numerosa do Nepal. Povo de língua sino-tibetana, eles se estendem por todo o Himalaia central até o centro-oeste nepalense. Trata-se de uma comunidade remota, oficialmente parte da vila de Kunchok, mas distante quase uma hora por estrada de terra do povoado maior. Fica no distrito de Sindhupalchok, um dos dois mais afetados pelo terremoto no Nepal, onde ocorreu praticamente 50% das fatalidades e quase a totalidade dos sobreviventes ficou desabrigada.

nepal 1

O Abrace Jaundada é um projeto do Levanta Nepal que está em pleno curso. Após uma fase inicial de pesquisa de necessidades, de projeções e da construção da primeira casa, na semana passada a comunidade concretizou sua parte, de erguer a base de dezenove abrigos! Estamos providenciando a compra do material para o teto e para os banheiros nesta semana. Ademais, continuaremos acessando as necessidades prioritárias de pessoas vulneráveis na comunidade e a possibilidade de estender o projeto a comunidades vizinhas.

nepal 2

Os Recursos

Lena arrecadou o suficiente para lançar o projeto de construção de abrigos com as doações que recebeu através de pedidos em redes sociais e depósitos em sua conta pessoal. Também já possuem recursos humanos. Formaram um time de voluntários nepalenses e estrangeiros: Buba Lalit, Rajan Rana, Suraj Tamang, Mikke Soussi, Maximillien Borg, Simone Nascimento e Lena Tosta. Ademais, contam com a colaboração de um professor da comunidade, Chetan Tilmasina, como mobilizador social, e também com o apoio da iniciativa construction d’ecoles (http://www.facebook.com/maximilien.nepal).

Estamos trabalhando muito, com muito amor e o máximo de sensatez, aprendendo e apanhando diariamente num cenário caótico, mas sabemos que podemos contar com vocês. Tem tanta gente que gostaria até de estar aqui, colocando a mão na massa conosco! – Lena Tosta.

Para quem não pode fazê-lo, Lena pede que não deixem o terremoto se tornar a notícia de ontem agora que o processo mais caro começou! Doações podem ser feitas até 30/6/15 pelo Western Union em nome de Lena T. D. Tosta no endereço Jhochhen Tole, Basantapur, Kathmandu, Nepal, 44600.

Depósito feito, é só mandar o número de rastreamento via inbox, acompanhar os resultados de sua ação pela página Levanta Nepal e sentir um sorriso nepalense se abrir em agradecimento.

Mulheres…sem sombra de dúvidas!!!


08/03/2014

diainternacionaldamulher

Mulheres:

Elas sorriem quando querem gritar.
Elas cantam quando querem chorar.
Elas choram quando estão felizes.
E riem quando estão nervosas.
Elas brigam por aquilo que acreditam.
Elas levantam-se para injustiça.
Elas não levam “não” como resposta quando
acreditam que existe melhor solução
Elas andam sem novos sapatos para
suas crianças poder tê-los.
Elas vão ao medico com uma amiga assustada.
Elas amam incondicionalmente.
Elas choram quando suas crianças adoecem
e se alegram quando suas crianças ganham prêmios.
Elas ficam contentes quando ouvem sobre
um aniversario ou um novo casamento.

(Pablo Neruda)

Nós da Alavanca Social entregamos a todas as mulheres deste mundo e de todos os outros também…

Nossa singela homenagem…PARABÉNS pelo seu dia!

Alavanca Social ministrará Workshop em Macaé-RJ


Olá pessoal,

Mais uma vez, através da parceria com a Associação Telecentros de Informação e Negócios, a Alavanca Social ministrará o Workshop BOAS PRÁTICAS NAS GESTÃO DE ORGANIZAÇÕES SOCIAIS. Desta vez, a cidade escolhida será Macaé-RJ e o evento acontecerá em 07/05/13.

Contaremos também com apoio da Escola Sentrinho que disponibilizará o espaço e da AME – Associação de Mulheres Empreendedoras.

O encontro contará com a presença de representantes de Organizações Sociais daquela região que darão um toque especial durante todo o dia.

O conteúdo do evento serão assuntos relacionados à Gestão, Organização, Planejamento, Captação de Recursos e outros, tão importantes na condução de uma organização do Terceiro Setor.

Juntamente conosco estarão presentes também representantes da ATN e IBM, os quais transmitirão informações importantes sobre o IBM Connections.

Desde já a Alavanca Social dá boas vindas a todos!

Vejam a seguir a chamada para o evento:

Convite evento de Macaé-RJ

DENÚNCIA: Índios Guarani-Kaiowá anunciam suicídio coletivo no Mato Grosso do Sul


Século XXI, imagina-se a evolução moral e intelectual em franca ascensão, com as diferenças, preconceitos, desigualdades sociais, sendo gradativamente vencidas por uma sociedade mais justa e consciente, com o poder público sabedor de suas responsabilidades e deveres, com a iniciativa privada, também como cidadãos jurídicos, agindo de forma a trazer o crescimento e o progresso sem ferir a Constituição Brasileira e as etnias, com o Poder Judiciário, principalmente o Supremo Tribunal Federal, com o poder de legislar com seriedade e competência e com toda as comunidades presentes em todo Brasil, mais conscientes de seus direitos e deveres.

Será que chegamos a esse patamar?

Ao ouvir um comentário de Bob Fernandes na TV Gazeta sobre os índios Kaiowás, fiquei estarrecido pelos fatos anunciados, com uma vileza digna de ações do Brasil em épocas muito remotas, já extintas há muito tempo. Indignado por saber que brasileiros estão sendo massacrados de todas as formas possíveis (física e moralmente) por pessoas inescrupulosas, que somente estão interessadas em se tornar mais ricos e poderosos, utilizando, muitas vezes, da ajuda dos meios judiciários locais, como forma de extinguir a vida dos índios e ocupar um lugar que é deles por direito há milhares de anos e pasmem, sob o olhar conivente do poder público, privado e maior parte da sociedade.

Este assunto não está sendo divulgado nos principais meios de comunicação como deveria, mantendo o fato e a verdade oculta sob o tapete da vergonha, corrupção e total falta de respeito à vida e o direito de viver com dignidade.

Mais estarrecido e indignado eu fiquei quando ouvi sobre suicídio coletivo de crianças, adultos e idosos da tribo  Kaiowás, pelo fato de estarem sem esperanças para prosseguir e sem apoio da nação brasileira que se cala diante de uma fato digno das grande atrocidades acontecidas em outras eras deste planeta.

O que você pode fazer a respeito? Você pode, ao menos, comentar com seus familiares, seus amigos, seus colegas, nas redes sociais e em todos os locais possíveis? Está na hora de reagir e começar a transformar realidades como esta, e elevar o Brasil a um patamar de justiça e desenvolvimento leal desejado por todos.

Assistam este vídeo denúncia do índios Guarani-Kaiowás:

Assinem as petições que ajudarão a mudar este contexto:

Vejam a seguir a íntegra de uma reportagem sobre o assunto.

Fonte: http://dialogospoliticos.wordpress.com

Por Felipe Patury, Época

Uma carta assinada pelos líderes indígenas da aldeia Guarani-Kaiowá, do Mato Grosso do Sul, e remetida ao Conselho Indigenista Missionário (CIMI), anuncia o suicídio coletivo de 170 homens, mulheres e crianças se a Justiça Federal mandar retirar o grupo da Fazenda Cambará, onde estão acampados provisoriamente às margens do rio Hovy, no município de Naviraí. Os índios pedem há vários anos a demarcação das suas terras tradicionais, hoje ocupadas por fazendeiros e guardadas por pistoleiros. O líder do PV na Câmara, deputado Sarney Filho (MA), enviou carta ao ministro da Justiça pedindo providências para evitar a tragédia.

Leia a íntegra da carta dos índios ao CIMI:

Carta da comunidade Guarani-Kaiowá de Pyelito Kue/Mbarakay-Iguatemi-MS para o Governo e Justiça do Brasil

Nós (50 homens, 50 mulheres e 70 crianças) comunidades Guarani-Kaiowá originárias de tekoha Pyelito kue/Mbrakay, viemos através desta carta apresentar a nossa situação histórica e decisão definitiva diante de da ordem de despacho expressado pela Justiça Federal de Navirai-MS, conforme o processo nº 0000032-87.2012.4.03.6006, do dia 29 de setembro de 2012. Recebemos a informação de que nossa comunidade logo será atacada, violentada e expulsa da margem do rio pela própria Justiça Federal, de Navirai-MS.

Assim, fica evidente para nós, que a própria ação da Justiça Federal gera e aumenta as violências contra as nossas vidas, ignorando os nossos direitos de sobreviver à margem do rio Hovy e próximo de nosso território tradicional Pyelito Kue/Mbarakay. Entendemos claramente que esta decisão da Justiça Federal de Navirai-MS é parte da ação de genocídio e extermínio histórico ao povo indígena, nativo e autóctone do Mato Grosso do Sul, isto é, a própria ação da Justiça Federal está violentando e exterminado e as nossas vidas. Queremos deixar evidente ao Governo e Justiça Federal que por fim, já perdemos a esperança de sobreviver dignamente e sem violência em nosso território antigo, não acreditamos mais na Justiça brasileira. A quem vamos denunciar as violências praticadas contra nossas vidas? Para qual Justiça do Brasil? Se a própria Justiça Federal está gerando e alimentando violências contra nós.  Nós já avaliamos a nossa situação atual e concluímos que vamos morrer todos mesmo em pouco tempo, não temos e nem teremos perspectiva de vida digna e justa tanto aqui na margem do rio quanto longe daqui. Estamos aqui acampados a 50 metros do rio Hovy onde já ocorreram quatro mortes, sendo duas por meio de suicídio e duas em decorrência de espancamento e tortura de pistoleiros das fazendas.

Moramos na margem do rio Hovy há mais de um ano e estamos sem nenhuma assistência, isolados, cercado de pistoleiros e resistimos até hoje. Comemos comida uma vez por dia. Passamos tudo isso para recuperar o nosso território antigo Pyleito Kue/Mbarakay. De fato, sabemos muito bem que no centro desse nosso território antigo estão enterrados vários os nossos avôs, avós, bisavôs e bisavós, ali estão os cemitérios de todos nossos antepassados.
Cientes desse fato histórico, nós já vamos e queremos ser mortos e enterrados junto aos nossos antepassados aqui mesmo onde estamos hoje, por isso, pedimos ao Governo e Justiça Federal para não decretar a ordem de despejo/expulsão, mas solicitamos para decretar a nossa morte coletiva e para enterrar nós todos aqui.

Pedimos, de uma vez por todas, para decretar a nossa dizimação e extinção total, além de enviar vários tratores para cavar um grande buraco para  jogar e enterrar os nossos corpos. Esse é nosso pedido aos juízes federais. Já aguardamos esta decisão da Justiça Federal. Decretem a nossa morte coletiva Guarani e Kaiowá de Pyelito Kue/Mbarakay e enterrem-nos aqui. Visto que decidimos integralmente a não sairmos daqui com vida e nem mortos.

Sabemos que não temos mais chance em sobreviver dignamente aqui em nosso território antigo, já sofremos muito e estamos todos massacrados e morrendo em ritmo acelerado. Sabemos que seremos expulsos daqui da margem do rio pela Justiça, porém não vamos sair da margem do rio. Como um povo nativo e indígena histórico, decidimos meramente em sermos mortos coletivamente aqui. Não temos outra opção esta é a nossa última decisão unânime diante do despacho da Justiça Federal de Navirai-MS.

Atenciosamente, Guarani-Kaiowá de Pyelito Kue/Mbarakay

Mulheres…sem sombra de dúvidas


Mulheres:

Elas sorriem quando querem gritar.
Elas cantam quando querem chorar.
Elas choram quando estão felizes.
E riem quando estão nervosas.
Elas brigam por aquilo que acreditam.
Elas levantam-se para injustiça.
Elas não levam “não” como resposta quando
acreditam que existe melhor solução
Elas andam sem novos sapatos para
suas crianças poder tê-los.
Elas vão ao medico com uma amiga assustada.
Elas amam incondicionalmente.
Elas choram quando suas crianças adoecem
e se alegram quando suas crianças ganham prêmios.
Elas ficam contentes quando ouvem sobre
um aniversario ou um novo casamento.

(Pablo Neruda)

Nós da Alavanca Social entregamos a todas as mulheres deste mundo e de todos os outros também…

Nossa singela homenagem…PARABÉNS pelo seu dia!