Novo programa capacita pessoas com deficiência no setor de TI


  

Fonte: http://maisrh.wordpress.com

O Sindicato das Empresas de Processamento de Dados e Serviços de Informática do Estado de São Paulo – SEPROSP (secretaria@seprosp.org.br) firmou contrato com a Uni Sant’Anna (www.unisantanna.br) e a Fundação Leonídio Allegretti para realização do Programa Piloto SEPROSP Eficiente de capacitação profissional nas áreas de Tecnologia e Informática para 80 pessoas com deficiência física, auditiva e visual.

O curso, com duração de quatro meses (300 horas), será ministrado nas dependências da Uni Sant’Anna por professores universitários, qualificados em educação inclusiva. O conteúdo inclui as disciplinas de português, matemática, conhecimentos gerais, informática e conduta profissional.

O objetivo do programa é promover o aprimoramento educacional e a capacitação profissional de pessoas com deficiência física, visual e/ou auditiva para inserção no mercado de trabalho do setor de TI. Desde o início do curso, 80 pessoas com deficiência serão contratadas pelas empresas associadas ao SEPROSP, com salário inicial de R$ 600,00 para 100 horas mensais.

Conforme a Lei 8213/91 (Lei de Cotas), empresas com mais de 100 funcionários são obrigadas a ocupar de 2 a 5% dos cargos com pessoas com deficiência. Assim, o programa irá minimizar a dificuldade das empresas em encontrar profissionais capacitados para preencher as vagas previstas pela legislação.

Os interessados que tenham o 2º grau completo, mais de 18 anos de idade e laudo médico que comprove a deficiência, de acordo com o Decreto 5.296/04, devem enviar nome completo, número do RG e telefone para o e-mail inclusao@santanna.br e/ou ligar para o telefone (11) 2175-8000 (ramal 8086).

O programa será dirigido por Flávia Cintra, Coordenadora do Núcleo de Desenvolvimento Inclusivo da Uni Sant’Anna/Fundação Leonídio Alegretti, referência internacional na área, e contará com equipe multidisciplinar, composta por psicólogos, psicopedagogos, intérpretes de LIBRAS, ledores e auxiliares de inclusão, entre outros. O início das aulas está previsto para maio de 2011, com os primeiros 80 candidatos selecionados.

O curso será realizado no campus Santana do Centro Universitário Sant’Anna, localizado próximo à estação Tietê do Metrô, que possui rampas de acesso, elevadores com sinalização em Braille, toaletes adaptados para cadeirantes e computadores com sintetizador de voz.

Anúncios

Inclusão no mercado de transportes


Empresas de ônibus oferecem curso gratuito para deficientes físicos e auditivos
As inscrições vão até o dia 15 de junho e os participantes terão o currículo divulgado no mercado de trabalho.

Incluir um portador de deficiência física no dia a dia não é apenas oferecer rampas nas calçadas, transporte público com equipamentos como elevador ou piso baixo, sinais de trânsito especiais ou dispensar um errôneo tratamento com dó ou piedade.
O portador de limitações, apesar de estar ciente que em muitos casos precisa de um tratamento diferenciado, não quer ser tratado como um outro tipo de cidadão. Afinal, isso não seria inclusão.
Ele quer e tem o direito a transitar pela cidade, estudar, trabalhar, sentir-se produtivo.
Em várias funções, o portador de necessidade especial é tão produtivo quanto um outro cidadão que não possui nenhuma limitação física ou audiovisual.
O que faltam mesmo são oportunidades, principalmente de trabalho.
E trabalhar deixa o cidadão com a sensação de dignidade, o que as pessoas com deficiência têm direito.
Vários órgãos, instituições e empresas tomam atitudes não só de auxílio mas acima de tudo de capacitação.
É o que vão realizar várias empresas de ônibus pelo SETPESP – Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros no Estado de São Paulo em parceria com o STERIIISP- Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Ônibus Rodoviários Internacionais, Interestaduais, Intermunicipais e setor diferenciado de São Paulo, Itapecerica da Serra, São Lourenço da Serra, Embu-Guaçu, Ferraz de Vasconcelos, Poá e Itaquaquecetuba, sob a orientação do Instituto Cultural de Integração, Desenvolvimento e Cidadania – Grupo O Resgate.
Até o dia 15 de junho podem ser realizadas inscrições para o Curso de Capacitação para a inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho.
O curso é de graça e pode representar a oportunidade que muita gente sonha.
Podem participar pessoas com deficiência física, mobilidade reduzida ou deficiência auditiva que já tenham completado o ensino fundamental.
As aulas têm o objetivo de oferecer maior capacidade profissional para estas pessoas entrarem no mercado de trabalho, em especial no setor de transportes.
O curso tem sete módulos distribuídos em oito dias e a carga horária diária é de 5 horas a 6 horas.
Entre os temas abordados estão:
• Atendimento ao cliente
• .Educação Financeira
• Redação empresarial
• Qualidade de vida no trabalho
• Inclusão Digital
• Comunicação
• Operação e funcionamento das empresas que atuam no setor rodoviário de passageiros.

PARTICIPANTES PODEM SAIR COM EMPREGO:

Participar do curso pode ser a vez tão desejada para quem possui necessidade especial mas quer trabalhar. Isso porque após a conclusão dos estudos, os freqüentadores vão receber uma certificação que comprova a participação, terão os currículos divulgados no mercado de trabalho e podem conseguir emprego nas viações participantes, caso haja disponibilidade de vagas.
Entre as empresas participantes estão:
• Metra – Sistema Metropolitano de Transportes Ltda
• Viação Cometa
• Translitoral
• Reunidas Paulista
• Pássaro Marron

O curso tem início no dia 27 de junho e termina no dia 05 de julho de 2011.
O local é no Instituto Resgate que fica na Rua da Abolição, 117, Bela Vista – São Paulo/SP, perto da Câmara Municipal de São Paulo.

INSCRIÇÕES:

As inscrições que são gratuitas devem ser feitas até o dia 15 de junho pelos seguintes endereços eletrônicos:
matriculas@metra.com.br
elaine.nakashima@viacaocometa.com.br
rhselecao@translitoral.com.br
lmoliveira@reunidaspaulista.com.br
noliveira@passaromarron.com.br

Empresas modernas, cada vez mais estão preocupadas não apenas no exercício puro de suas atividades, mas com seu papel social e ambiental.
Incluir o portador de deficiência no mercado de trabalho é um ato de cidadania, respeito e amor ao próximo.
O setor de transportes, por meio de órgãos como o SETPESP, estacada vez mais engajado em causas como estas, o que prova evolução do ramo.
Muitas das empresas que vão promover este curso já possuem pessoas com necessidades especiais em seus quadros e garantem que os trabalhos são realizados com excelência.

 

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes, repórter da Rádio CBN.