Você conhece o Felippe? Vamos ajudá-lo?


???????????????????????????????

Olá pessoal!

O objetivo desta mensagem é encontrar uma solução para uma criança e sua família que passam por um drama difícil.

Apresento-lhes o Felippe Wysocki, menino de 03 anos de idade, que nasceu com Amiotrofia Espinhal Infantil (AEI), e que atualmente reside, juntamente com a mãe, dentro do Hospital das Clínicas de Suzano.

feleppe3feleppe2feleppe4

A doença

A Amiotrofia Espinhal Infantil trata-se de uma enfermidade de origem genética, herança autossômica recessiva, que afeta o corpo do neurônio motor na medula espinhal, ocasionando a fraqueza e a hipotonia muscular. A doença ainda não tem cura e necessita de cuidados especiais o tempo todo. Existem estudos e pesquisas que indicam a possível cura através da utilização de células tronco.

Histórico:

Após uma forte pneumonia, aos 06 meses de idade, foi internado no Hospital de Pirituba, onde ficou 01 semana, sendo transferido em seguida para o Hospital das Clínicas em São Paulo, ficando lá por 20 dias, onde houve o 1º diagnóstico da doença.

Houve então o encaminhamento para o Hospital das Clínicas de Suzano, com a promessa que teria todo o respaldo e tratamento necessários para mantê-lo bem e estável. Como não houve o atendimento prometido, a mãe (Fabiana Pinheiro) entrou na justiça e através de uma liminar, conseguiu a realização da fisioterapia motora, o que melhorou o seu estado clínico, mesmo com algumas deficiências. O sistema de ventilação para auxiliar na respiração ainda é mecânico, sendo o ideal o Bipap.

O Hospital de Suzano, apesar de todos os esforços para oferecer a melhor condição, não possui todas as condições necessárias, deixando a mãe e familiares sempre apreensivos em relação ao estado de saúde do Felippe e sua delicada saúde.

O Felippe, atualmente, somente tem movimentos nas pernas e sobrevive através de medicamentos, ventilação mecânica para facilitar a respiração e fisioterapia contínua.

feleppe5   Felippe 04

O sonho da família é poder conseguir fazer parte de algum programa Home Care que possibilite o tratamento em sua casa, com atendimento a domicílio para todas as suas necessidades.

Nesta condição serão necessários alguns recursos e cuidados como: aparelho ventilador, sonda, equipamento de dieta, cadarço para pescoço, acompanhamento médico regular, etc., que é incluído neste tipo de programa, além de profissionais para apoio à criança e a família.

Caso essa possibilidade fique inviável, outra opção seria conseguir incluí-lo em alguma instituição que tenha todas as condições possíveis e necessárias para oferecer uma vida digna e mais serena para ele e a família.

Contamos com a ajuda de todos que possam repassar a informação, indicar, orientar e conseguir ajudá-los de alguma forma.

Felippe 03

Dados dos envolvidos:

Mãe: Fabiana Pinheiro                 Telefone: (11) 98040-3478 e (11) 95352-1832

Defensoria Pública que ajudou com a liminar: Dra Débora (11) 3105-5799 – Ramal 243

Médico atual: Dr Paulo Sergio            Telefone: (11) 4744-8200 (Hospital de Suzano)

Campanha de Ajuda


Olá pessoal!

Vejam mais abaixo um pedido da Rede Social Jundiaí, a qual solicita alguns insumos para ajudar uma família aqui em Jundiaí. A todos que puderem, dêem sua colaboração.

Veja a seguir a íntegra do pedido:

Caras (os) Parceiras (os)

  Em dezembro de 2012 um grande parceiro da Rede sofreu um grave acidente de carro, sendo necessária uma intervenção cirúrgica na coluna. A família e amigos estão mobilizados em sua recuperação, cujo período preliminar indicado pelos médicos é de 06 meses. Para os cuidados e os novos desafios que o tratamento exige eles precisam de alguns produtos de saúde e higiene pessoal.  Como forma de ajudarmos, a Rede Social Jundiaí está realizando uma campanha de arrecadação, buscando obter coletivamente os itens que seguem listados:
•       Micropore NexCare;
•       Lenços Umedecidos (com 400 unidades);
•       Fralda Geriátrica tam. M ((Plenitude, Bigfral, Natural Master);
•       Cueca Geriátrica tam. M (ou único);
•       Fraldas de pano;
•       Creme Esfoliante para Pés;
•       Creme Hidratante para Pele Extra-Seca;
•       Óleo para Hidratação a base de Girassol (podendo ser o óleo de cozinha a base de girassol);
•       Pomada Minâncora 30g;
•       Pomada Hipoglós 90g ou 120g;
•       Álcool Etílico em Gel;
•       Álcool Etílico em Líquido;
•       Sabão Líquido Para Roupas;
•       Sabão em Pó Para Roupas;
•       Amaciante Para Roupas;
•       Chá Diversos Sabores;

  As doações podem ser encaminhadas para o Senac Jundiaí (Rua Vicente Magaglio, 50 – Anhangabaú  Jundiaí (11) 3395-2300), aos cuidados da área de Desenvolvimento Social (Roberto Araújo, Daniel Pólo, Fausto Gentile ou Julio Cintrão).

  Desde já agradecemos a solidariedade de todos.

  Grande abraço

  Julio Cintrão
  Senac Jundiaí
  Senac São Paulo

Brasil Carinhoso chega a mais 57 mil famílias em julho


Fonte: http://www.promenino.org.br

Benefício destinado a famílias com crianças de até 6 anos visa superar a extrema pobreza na primeira infância. Ação do Plano Brasil Sem Miséria complementa a renda de quem recebe até R$ 70 por pessoa ao mês, caso de Roziane Oliveira, de Juiz de Fora

Brasília, 30 – Um montante de R$ 1,8 bilhão está sendo destinado à população pobre até 31 de julho pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) com o pagamento do Bolsa Família. Desse total, R$ 169,8 milhões são do Benefício para Superação da Extrema Pobreza na Primeira Infância (BSP), pago a 2 milhões de famílias com crianças de até 6 anos e renda mensal por pessoa inferior a R$ 70.

Em julho, mais 57,6 mil famílias começaram a receber o BSP, que integra a ação Brasil Carinhoso do Plano Brasil Sem Miséria. O crescimento equivale a recursos da ordem de R$ 5 milhões. “Esse aumento se deve à inclusão de famílias que atendem ao critério do benefício”, explica o diretor da Secretaria Nacional de Renda de Cidadania do MDS, Walter Emura.
O novo benefício do programa de transferência de renda visa fazer com que essa parcela da população ultrapasse a linha da extrema pobreza. O valor corresponde à soma necessária para que a renda da família ultrapasse R$ 70 por pessoa, incluindo crianças e adultos.

O dinheiro extra do Brasil Carinhoso recebido pela beneficiária Roziane Lúcia Ferreira de Oliveira, 29 anos, de Juiz de Fora (MG), representou mais comida na mesa. “Fiquei muito alegre quando fui receber R$ 198 e sai com R$ 375. Passei no supermercado e fiz compras”, conta Roziane. Com mais dinheiro, ela pode incluir itens como frutas e iogurte para alimentar os quatros filhos, com idades entre 3 e 14 anos.

Com o marido desempregado ou fazendo bicos, a beneficiária da cidade mineira usa os recursos do Bolsa Família para comprar leite, fralda e material escolar. O principal investimento da família é na alimentação. Ela viu a renda aumentar, mas não sabia que os motivos eram o filho de 3 anos, Samuel de Oliveira, e a renda por pessoa inferior a R$ 70.

Roziane Oliveira reconhece a importância da frequência escolar e, durante a semana, cuida para que os filhos não faltem às aulas. O único período em que eles não cumpriram os índices exigidos foi em 2009. Ela lembra que à época a família estava num abrigo distante da escola. Nos fins de semana, a beneficiária deixa as crianças com o marido, Geelson Inácio de Oliveira, 32 anos, e vai vender vassouras para reforçar o orçamento familiar.

Benefícios – Com o pagamento do BSP iniciado em junho, o Bolsa Família passou a ter quatro benefícios diferentes, que podem ser somados de acordo com o perfil do público atendido: o BSP, o básico de R$ 70 destinado também às famílias extremamente pobres – independentemente de terem filhos ou não –, o variável de R$ 32 por criança de até 15 anos, gestante e nutriz, limitado a cinco, e o variável de R$ 38 vinculado aos jovens de 16 e 17 anos, limitado a dois. As famílias pobres, ou seja, com renda entre R$ 70 e R$ 140, recebem somente os valores referentes a crianças e adolescentes.

O pagamento de todos os 13,5 milhões de famílias atendidas será liberado até 31 de julho, mas os valores ficam disponíveis para saque nos postos de atendimento da Caixa Econômica Federal por 90 dias. Os recursos não sacados nesse período retornam ao orçamento do MDS.

A maior parte do público do Brasil Carinhoso e do Bolsa Família está concentrado nas regiões Norte e Nordeste. A Bahia tem o maior número de BSP e, consequentemente, recebe volume mais expressivo de recursos: R$ 23,5 milhões. Em seguida, aparecem Maranhão, Ceará e Pernambuco.

Além de transferir renda, o Bolsa Família exige frequência à escola e visita aos postos de saúde a cada semestre. As duas contrapartidas são acompanhadas pelos municípios e pelos ministérios da Saúde e da Educação, parceiros do MDS na gestão do programa. Essas exigências contribuem para melhorar a situação de vida das futuras gerações. Para evitar a perda do benefício, é preciso também atualizar os dados cadastrais a cada dois anos. Neste ano, 1,5 milhão de famílias precisam renovar o cadastro até dezembro.

Fonte inicial: MDS – 30/07/2012