Imagem

12º Fórum Cáritas do Terceiro Setor em Jundiaí


Anúncios

Associação Paulista de Fundações (APF) promove encontro em busca melhorias e soluções para o Terceiro Setor


Os assuntos principais que serão discutidos no evento são:

Remuneração de dirigentes para uma melhor capitação profissional, redução nos custos tributários para a contratação de profissionais, contemplação de uma política de incentivos fiscais para doações vinculadas a finalidades sociais e a construção de um marco regulatório para o Terceiro Setor. Estas são algumas das principais “bandeiras” que serão defendidas no 7º Encontro Paulista de Fundações, que acontece em São Paulo no dia 24 de outubro, com a finalidade de promover diálogo entre participantes e especialistas sobre questões fundamentais para o fortalecimento do Terceiro Setor no Brasil.

Os principais pontos discutidos no encontro são, os entraves à gestão profissional das entidades sociais, os estímulos e obstáculos às doações ao Terceiro Setor e a construção do Marco Regulatório do Terceiro Setor.

A associação pretende promover o debate para levantar questões fundamentais para o fortalecimento do papel do Terceiro Setor no desenvolvimento brasileiro e o foco é nas deficiências do contexto regulatório no qual atuam as fundações e associações. “Para que os cidadãos e as organizações sociais assumam, de fato, o protagonismo que lhes cabe, é imprescindível que se consolide um ambiente legal favorável, sem o qual nosso papel fica bastante limitado”, explica Dora Silvia Cunha Bueno, presidente da APF.

Sobre Dora Silvia Cunha Bueno

Bacharel em Pedagogia e Educação Física e reconhecida por sua competência, Dora Silvia foi a primeira mulher a presidir a Câmara Brasil-Israel de Comércio e Indústria, atuando junto a entidades sociais, em especial as da comunidade judaica. Dora é colaboradora voluntária de diversas Ong’s, também é membro do Conselho da União Cultural Brasil – Estados Unidos e Consultora da área Educacional Superior e presidente da APF (Associação Paulista de Fundações), entidade que reúne fundações com atuação em diversos setores – educação, saúde, assistência social, meio ambiente, entre outros, sem finalidade econômica.

 Sobre a APF

Com 14 anos de experiência, a Associação Paulista de Fundações (APF) reúne fundações com atuação em diversos setores – educação, saúde, assistência social, meio ambiente, entre outros. Sem finalidade econômica, a APF tem o objetivo de garantir todo o amparo necessário para que as fundações associadas se desenvolvam com responsabilidade e transparência, aprimorando continuamente seu desempenho na sociedade. Desde 2010, é a única entidade sul-americana a integrar o Council on Foundations  (COF, na sigla em inglês), a maior organização mundial de fundações, e, desde 2004, realiza anualmente o Encontro Paulista de Fundações, o principal evento do Terceiro Setor no País. Saiba mais sobre a APF em http://www.apf.org.br/portal/

6º EnconFrater – Encontro Fraternidade e Pessoas com Deficiência


O Projeto Igreja Acessível para todos é o tema do 6º encontro fraternidade e pessoas com deficiência, que será no dia 29 de setembro de 2012 as 9h00 no Colégio Espírito Santo, em São Paulo na região do Tatuapé. Este encontro tem como objetivo, mostrar idéias e estratégias que podem ser colocadas em praticas para, melhoria da estruturas tanto física como uma comunicação adequada a necessidades de todos.

6º EnconFrater – Encontro Fraternidade e Pessoas com Deficiência

Data: 29 de Setembro de 2012

Horário: A partir das 9 h

Local: Colégio Espírito Santo

End.: Rua Tuiuti, 1442, próximo ao Metrô Tatuapé, ao lado do Shopping Boulevard

VI Encontro Temático de Mobilização de Recursos – Avaliação de Resultados e de Impacto dos Projetos


Fonte: http://captacao.org

A ABCR – Associação Brasileira de Captadores de Recursos/Núcleo-Rio convida para o VI ENCONTRO TEMÁTICO DE MOBILIZAÇÃO DE RECURSOS.
Completando um ano de trabalho no Rio de Janeiro a ABCR/Núcleo Rio faz o VI ENCONTRO TEMÁTICO DE MOBILIZAÇÃO DE RECURSOS nesta edição em São João de Meriti visando ampliar e democratizar os debates que a ABCR vem fazendo a atividade de captação/mobilização de recursos.
Em formato de relato de experiência e depoimentos, o foco do encontro será a avaliação como fator crítico de sucesso de um projeto e da continuidade do trabalho da mobilização de recursos vista como uma ação contínua, transparente e responsável, focada no compromisso entre o gestor, a causa/projeto e os potenciais doador-patrocinadores. O VI Encontro Temático, diferente do Café Conversa, traz sempre um especialista e um estudo de caso para falar de temas correlatos à captação de recursos.

Na ocasião, Claudia Pfeifer, Socióloga, Mestra e Doutora em Planejamento Urbano e Regional pela UFRJ falará sobre importância da inclusão de planos de atividades e de recursos para o monitoramento da implementação de avaliação de um programa ou projeto, devidamente acompanhado de orçamento em seu planejamento. Apresenta um sistema de gerenciamento de programas e projetos que tem essa finalidade.  Na ocasião será apresentada a experiência da Visão Mundial, pelo seu Gerente da Unidade Operacional Sudeste, o sociólogo Juca Ribeiro, organização não governamental de desenvolvimento, promoção de justiça e assistência. Em suas ações, a organização desenvolve e aplica ferramentas de avaliação e monitoramento de projetos.

Agenda do dia
1º parte: Claudia Pfeifer
2º parte: Depoimento: Visão Mundial, por Juca Ribeiro, seguido de debate
Data: 5 de agosto, 9h às 12h.
Local: SESC São João do Meriti, próximo à Estação de Metrô Pavuna

Cláudia Ribeiro Pfeiffer
Socióloga, Mestra e Doutora em Planejamento Urbano e Regional pela UFRJ. Professora Adjunta da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Programas de Pós-Graduação em Planejamento Urbano e Regional, Engenharia Urbana, Responsabilidade Social e Terceiro Setor, Gestão da Sustentabilidade Ambiental e Curso de Graduação em Gestão Pública para o Desenvolvimento Econômico e Social).  E sócia da Management de Projetos e Processos Ltda. Nos últimos 15 anos, vem trabalhando com Gerenciamento de Projetos Sociais, de Desenvolvimento e Comunitários na própria universidade, na Cooperação Técnica Internacional, em órgãos públicos federais e estaduais, em organizações não-governamentais e em empresas públicas e privadas; e com Gerenciamento de Programas de Responsabilidade Sócio-Ambiental de Empresas.

Estudo de caso: Visão Mundial
A Visão Mundial é uma Organização Não Governamental (ONG) Cristã Humanitária e de Desenvolvimento criada em 1950 e presente em aproximadamente 100 países. Trabalhando no Brasil desde 1975 com o enfrentamento da pobreza e da exclusão social, a Visão Mundial prioriza em seus programas as crianças e os adolescentes que vivem em comunidades pobres e em situação de vulnerabilidade, para promover o bem estar das pessoas. Juca Ribeiro: Gerente da Unidade Operacional Sudeste I da Visão Mundial. Sociólogo, Mestre em Políticas Sociais.