05 de Junho: Dia Mundial do Meio Ambiente


Alavanca Social

Capacitando e compartilhando para você vencer!


Olá pessoal, bom dia!

Passando hoje para lembrar e comemorar com vocês o dia Mundial do Meio Ambiente.

Imensamente importante para todos, comemorar e realizar ações para melhorá-lo são situações que todos podem estar presentes. O que você pode fazer para melhorar o meio ambiente?

Vejam a seguir uma publicação do site brasilescola.uol.com.br sobre este dia.

05 de Junho: Dia Mundial do Meio Ambiente

Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado no dia 5 de junho, foi instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU), e tem como objetivo principal chamar a atenção de todas as esferas da população para os problemas ambientais e para a importância da preservação dos recursos naturais, que até então eram considerados, por muitos, inesgotáveis.

Veja também: Sustentabilidade – equilíbrio entre suprimento das necessidades humanas e preservação ambiental

Origem do Dia Mundial do Meio Ambiente

Em 1972, durante a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente Humano, em Estocolmo, a Organização das Nações Unidas (ONU) instituiu o Dia Mundial do Meio Ambiente, que passou a ser comemorado todo dia 05 de junho. Essa data, que foi escolhida para coincidir com a data de realização dessa conferência, tem como objetivo principal chamar a atenção de todas as esferas da população para os problemas ambientais e para a importância da preservação dos recursos naturais, que até então eram considerados, por muitos, inesgotáveis.

Nessa Conferência, que ficou conhecida como Conferência de Estocolmo, iniciou-se uma mudança no modo de ver e tratar as questões ambientais ao redor do mundo, além de serem estabelecidos princípios para orientar a política ambiental em todo o planeta. Apesar do grande avanço que a Conferência representou, não podemos afirmar, no entanto, que todos os problemas foram resolvidos a partir daí.

Leia também: Conferências ambientais – reuniões de líderes de diversos países com pautas ambientais

Importância do Dia Mundial do Meio Ambiente

Atualmente existe uma grande preocupação em torno do meio ambiente e dos impactos negativos da ação do homem sobre ele. A destruição constante de habitat e a poluição de grandes áreas, por exemplo, são alguns dos pontos que exercem maior influência na sobrevivência de diversas espécies.

Tendo em vista o acentuado crescimento dos problemas ambientais, muitos pontos merecem ser revistos tanto pelos governantes quanto pela população para que os impactos sejam diminuídos. Se nada for feito, o consumo exagerado dos recursos e a perda constante de biodiversidade poderão alterar consideravelmente o modo como vivemos atualmente, comprometendo, inclusive, nossa sobrevivência.

Dentre os principais problemas que afetam o meio ambiente, podemos destacar o descarte inadequado de lixo, a falta de coleta seletiva e de projetos de reciclagem, consumo exagerado de recursos naturais, desmatamento, inserção de espécies exóticas, uso de combustíveis fósseis, desperdício de água e esgotamento do solo. Esses problemas e outros poderiam ser evitados se os governantes e a população se conscientizassem da importância do uso correto e moderado dos nossos recursos naturais.

Em razão da importância da conscientização e da dimensão do impacto gerado pelo homem, o Dia Mundial do Meio Ambiente é uma data que merece bastante destaque no calendário mundial. Entretanto, não basta apenas plantar uma árvore ou separar o lixo nesse dia, é necessário que sejam feitas campanhas de grande impacto que mostrem a necessidade de mudanças imediatas nos nossos hábitos de vida diários.

Apesar de muitos acreditarem que a mudança deve acontecer em escala mundial e que apenas uma pessoa não consegue mudar o mundo, é fundamental que cada um faça a sua parte e que toda a sociedade reivindique o cumprimento das leis ambientais. Todos devemos assumir uma postura de responsabilidade ambiental, pois só assim conseguiremos mudar o quadro atual.

A proteção e o melhoramento do meio ambiente humano é uma questão fundamental que afeta o bem-estar dos povos e o desenvolvimento econômico do mundo inteiro, um desejo urgente dos povos de todo o mundo e um dever de todos os governos.”

(Declaração de Estocolmo sobre o ambiente humano – 1972)


SANTOS, Vanessa Sardinha dos. “05 de Junho — Dia Mundial do Meio Ambiente”; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/datas-comemorativas/dia-mundial-do-meio-ambiente-ecologia.htm. Acesso em 05 de junho de 2020.


Alavanca Social

Capacitando e compartilhando para você vencer!


 

Nova lista suja do trabalho escravo tem 202 empregadores. Confira!


Olá pessoal!

É triste observar que em pleno século 21 ainda nos deparamos com situações deploráveis que acontecem com pessoas em todo o mundo. Falo do trabalho escravo, prática ainda utilizada por pessoas sem humanidade e gananciosas na sua busca pelas riquezas, sem se importar com o Ser Humano que é utilizado, sem nenhum respeito, para esta finalidade. Aqui no Brasil, apesar da luta do governo, organizações e sociedade, ainda persistem situações como essa acontecendo.

Vejam a seguir uma publicação da Globo.com a respeito da atualização da lista de empresários que ainda se utilizam desta prática para enriquecerem:

Nova lista suja do trabalho escravo tem 202 empregadores. Confira quem são

Atualização, publicada em janeiro, identifica quem submeteu trabalhadores a condições análogas à escravidão.

Fonte: https://oglobo.globo.com

Daiane Costa – 21/01/2019 – 17:16 / Atualizado em 21/01/2019 – 17:47

RIO – A Secretaria de Inspeção do Trabalho, ligada ao Ministério da Economia, atualizou a relação de empregadores que tenham submetido trabalhadores a condições análogas à escravidão, mais conhecida como lista suja do trabalho escravo. Nesta, há 202 nomes. A anterior havia sido divulgada em outubro e incluía 209 empregadores. Todos os nomes que constam na lista foram autuados por trabalho análogo ao de escravo por auditores fiscais, e tiveram o direito de recorrer em duas instâncias administrativas dentro do órgão, mas perderam.

Confira a lista completa aqui

De acordo com a nova lista, há uma maior incidência de casos em Minas Gerais (49) e Pará (22). Além dessas duas unidades da federação, outras 18 têm empregadores listados. No RJ há onze estabelecimentos mencionados. A maioria deles é lanchonete, além de caldo de cana, comércio de alimentos, churrascaria, pastelaria e pizzaria.

Em outubro de 2017, o governo do então presidente Michel Temer foi alvo de duras críticas ao editar um nova portaria, que tornava mais difícil caracterizar o trabalho escravo. Dois meses depois, ele voltou atrás e tornou mais rigorosas as definições de jornada exaustiva e condição degradante do trabalhador, além de ter ampliado outros conceitos para a configuração desse tipo de mão de obra. Com a nova portaria, o governo deixa em vigor no país as regras que já estavam valendo há 14 anos.

De acordo com o artigo 149 do Código Penal Brasileiro, caracterizam o trabalho análogo ao de escravo condições degradantes de trabalho (incompatíveis com a dignidade humana, caracterizadas pela violação de direitos fundamentais coloquem em risco a saúde e a vida do trabalhador), jornada exaustiva (em que o trabalhador é submetido a esforço excessivo ou sobrecarga de trabalho que acarreta a danos à sua saúde ou risco de vida), trabalho forçado (manter a pessoa no serviço através de fraudes, isolamento geográfico, ameaças e violências físicas e psicológicas) e servidão por dívida (fazer o trabalhador contrair ilegalmente um débito e prendê-lo a ele). Os elementos podem vir juntos ou isoladamente.


ALAVANCA SOCIAL E INSTITUTO SABEDORIA JUNTOS NA PREPARAÇÃO DE PESSOAS E ORGANIZAÇÕES

Necessita de Apresentações Profissionais para expandir seu negócio ou projeto?

Acesse R2 Creative e conheça algumas de suas criações.


 

Curso COMO FUNDAR ONGS em Caieiras


Capa Inst.Sabedoria

INSTITUTO SABEDORIA: COMPARTILHANDO INFORMAÇÕES PARA VOCÊ VENCER!

Olá pessoal!

Acessem nossa área Instituto Sabedoria e vejam notícia sobre curso

COMO FUNDAR ONGS: ASPECTOS ESTRUTURAIS E LEGALIZAÇÃO.

WP_20141214_011

Vejam algumas fotos do evento!

Também agradecemos ao Instituto ProBono e ao Instituto Filantropia pela disponibilização do novíssimo Manual do Terceiro Setor e exemplar da Revista Filantropia, que foram entregues aos alunos.

Faça já a sua inscrição para nossos cursos!

ou

Acesse nossa página Contato e faça já a sua reserva para a próxima turma!

Banco Tupinambá: promovendo o crescimento de pessoas e comunidades


cabecalho-banco

Olá Pessoal!

Transformar positivamente a vida das pessoas e situações é um dever de todos nós.

Em todas as partes do planeta observamos fatos e acontecimentos que promovem esta condição e são dignas de apoio e divulgação, como forma de permitir que este DNA se espalhe pelo mundo e provoque avalanches de mudanças positivas na vida de todos os envolvidos.

Dentro deste contexto, vamos falar hoje sobre uma instituição localizada na Ilha do Mosqueiro, a qual faz parte do município de Belém do Pará.

ilha mosqueiro2

A ideia surgiu a partir dos problemas que afligem muitas cidades pelo Brasil, como falta de oportunidades, infraestrutura, desenvolvimento sustentável, etc., onde viviam basicamente à base da pesca e turismo. Foi então que Ivoneide Vale teve a ideia de criar uma organização que pudesse levar a força para as pessoas, no sentido de impulsioná-las para novos tempos e seguindo o velho e sábio conselho de crescimento comunitário, “Ensinar a pescar, do que dar somente o peixe”, idealizou a BANCO COMUNITÁRIO TUPINANBÁ, cuja missão é “Promover o desenvolvimento econômico da comunidade da Baía do Sol, através de serviços financeiros, social e cultural tendo como base os princípios da Economia Solidária.” 

tupinambá comercio

As principais diretrizes que movimentam as ações do Banco e os fazem sua razão de existir são:

  • Organizar redes de prosumidores (produtor + consumidor)
  • Desenvolver a comunidade da Baía do Sol
  • Desenvolver o empreendedorismo na comunidade
  • Fortalecer a moeda social
  • Promover o consumo solidário
  • Incentivar a cultura regional
  • Oferecer serviços financeiros econômicos

Estas e outras ações estão sendo determinantes para a vida de toda a comunidade, transformando positivamente a vida das pessoas, sendo um ponto de destaque a criação de uma moeda local (MOQUEIO) que movimenta toda a economia e moradores da região.

moeda moqueio

Poderíamos ficar falando sobre seus projetos por muito tempo, mas preferimos que assista o vídeo a seguir que fala sobre a Instituição, seus objetivos, resultados e depoimentos:

Visite o site http://bancotupinamba.blogspot.com.br/ e conheça detalhes deste belo projeto.

Faltando 800 dias para prazo das metas do milênio, ONU pede aceleração no cumprimento dos objetivos


objetivos-do-milenio_gg

Escrito por  Thais Mendes Iannarelli

Com pouco mais de 800 dias para o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, se reuniu na sede da ONU com chefes de Estado e representantes de empresas, sociedade civil e organizações de ajuda humanitária para pedir um impulso final para as metas.

Os ODM foram estabelecidos por líderes mundiais em 2000. Buscam reduzir a pobreza extrema e a fome, garantir o acesso aos cuidados de saúde universais e educação, igualdade de gênero, reduzir a mortalidade materna e a infantil, garantir a sustentabilidade ambiental, reduzir o HIV/aids e estabelecer uma parceria mundial para o desenvolvimento, todos os objetivos com prazo até o final de 2015. “Esta experiência ousada ajudou a alcançar um dos maiores níveis de bem-estar humano que o mundo já viu. Treze anos depois, tenho o prazer de informar que o sucesso em muitas áreas e em muitos países está ao nosso alcance. A pobreza caiu, a saúde começou a melhorar e a alfabetização aumentou. O que parecia para alguns fantasioso e ingênuo se tornou possível.” No entanto, Ban reconheceu que o progresso dos oito ODM permanece incompleto.

Durante o encontro “Sucesso dos ODM: Acelerando a Ação e Parceria para o Impacto” em Nova York, nos Estados Unidos, foi anunciado um financiamento de quase 800 milhões de dólares para as metas.

http://www.onu.org.br

Fortaleza dá um passo importante para combater a exploração sexual de crianças e adolescentes


campanha-exploracao-sexual-2011

Aprovada Lei que combate a exploração sexual em Fortaleza

Fonte: Fundação PróMenino (http://www.promenino.org.br)

A Câmara Municipal de Fortaleza (CMFor) aprovou o Projeto de Lei (62/2012), de autoria da vereadora Eliana Gomes (PCdoB), que obriga aos postos de combustíveis, restaurantes, bares, hotéis, motéis, casas noturnas e similares a anexar placas informativas sobre crimes cometidos contra crianças e adolescentes e suas respectivas penalidades. O objetivo da autora, que foi relatora da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Exploração Sexual Comercial de Crianças e Adolescentes em Fortaleza, é criar medidas que inibam a prática da exploração sexual comercial e trazer a conscientização deste crime contra a criança e o adolescente.

De acordo com Eliana, a exploração sexual é uma epidemia na Capital. Essa constatação veio a partir dos dados apresentados pela CPI. Segundo o documento completo, que foi apresentado um ano após o início dos trabalhos e revelaram a situação da exploração sexual na Capital, em maio de 2012, há uma incidência do problema na periferia, onde se centraliza a prática voltada para o público “interno”, ou seja, habitantes de Fortaleza. São 74 pontos de exploração, que relacionam dezenas de estabelecimentos comerciais, entre eles bares, restaurantes, hotéis, motéis, pontos de taxi e postos de gasolina, e territórios onde se concentram a exploração, com destaque para “epidemia” na Barra do Ceará, com 22 pontos de exploração, e a Praia de Iracema, com 12.

fortaleza_titoalfredo

Imagem de Tito Alfredo

Medidas previstas na Lei

A Lei aprovada tipifica como devem ser instaladas as placas e as penalidades passíveis aos estabelecimentos que não adorem as medidas obrigatórias, após o período legal de 120 dias depois publicação da Lei no Diário Oficial do Município de Fortaleza.

A placa terá uma extensão de 50 cm X 50 cm para as áreas internas e 1,5 m x 1, 5 m para áreas externas, com o seguinte texto de advertência: “Lei 8069/90 – Estatuto da Criança e do Adolescente • Art. 244 -A -Submeter criança ou adolescente, à exploração sexual: Pena -reclusão de quatro a dez anos, e multa. Denuncie. Disque 100.”

Os estabelecimentos também estão obrigados a mencionar as informações acima em toaletes e cardápios no tamanho 15 cm x 15 cm. O descumprimento desta Lei sujeita o infrator advertência, seguida de multa de 50 UFMF’s (Unidade Fiscal do Município de Fortaleza), em caso de reincidência, e multa passará a ser cobrada em dobro, quando não cumprida recorrentemente.

Piores formas

A exploração sexual de crianças e adolescentes está entre as piores formas de trabalho infantil, segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT). Os dados do Disque 100, de 2012, revelam que, dentre as maiores violação deste público, a violência sexual está em quarto lugar em número de chamadas: 29,2%.

Você pode comunicar uma situação de exploração de trabalho infantil e adolescente ao Conselho Tutelar de sua cidade, ao Ministério Público ou a um Juiz de Infância. Ainda é possível denunciar pelo próprio Disque 100 – Disque Denúncia Nacional ou pelo site http://www.disque100.gov.br

Com informações da Assessoria da Vereadora Eliana Gomes (PCdoB).

 

 

Pesquisa aponta que brasileiro confia mais na mídia e empresas do que em ONGs


Ongs-no-Brasil

Fonte: Rede Gots

A pesquisa Trust Barometer 2013, realizada pela Edelman Significa, aponta que no Brasil, entre os segmentos analisados, a mídia aparece como o mais crível (66%), seguido de empresas (64%), ONGs (59%) e, por último, o Governo (33%). A décima terceira edição do estudo, realizado com 31 mil pessoas, em 26 países, mostra um panorama de crise nas lideranças das principais instituições e maior ceticismo do público.

Globalmente, o que o estudo chama de confiança atribuída cresceu em todos os setores e as ONGs ainda ocupam a liderança histórica – desde 2007 são as mais críveis e neste ano ainda recuperaram posições, passando de 54% para 61%. As empresas estão em segundo lugar (56%), seguidas pela mídia (55%). O governo, a exemplo do Brasil, aparece como a instituição de menor prestígio e ocupa a última posição, com um índice de apenas 46%.

Na opinião do público informado brasileiro, o nível geral de confiança subiu ligeiramente em relação ao ano anterior, passando de 51% para 55%, e o país ocupa a 12º posição no ranking global, atrás de China (80%), Índia (71%) e México (68%).

Para o secretário-geral do GIFE, Andre Degenszajn, o lugar que as ONGs ocupam na percepção da sociedade brasileira é preocupante, mas não chega a surpreender. “Considerando o contexto de insegurança jurídica e crescente criminalização das ONGs (no Brasil), é esperado que o nível de confiança nessas organizações seja baixo. Mas o descolamento entre a sua finalidade — orientada pela defesa de interesses públicos e de grupos sociais — e a sua imagem deve levar a uma reflexão das próprias organizações sobre o seu papel e sobre como se comunicam com a sociedade em geral.”

Segundo o vice-presidente do Instituto Ethos, Paulo Itacarambi, os principais componentes que geram o valor das empresas em geral são intangíveis. “Dentre estes valores  de uma organização está a confiança, muito baseada na sustentabilidade e responsabilidade social que ela tem”. Paulo levanta alguns pontos da diferença entre o nível de confiança em ONGS no Mundo e no Brasil. Ele analisa que o Brasil ainda tem que desenvolver uma cultura de doação, para que as organizações estejam sempre a serviço do interesse público. “ Outro fator que influencia negativamente é a insegurança jurídica. É importante um marco regulatório para dar mais confiabilidade ao setor”.

Andre ressalta ainda a necessidade de uma maior transparência por parte das ONGS.” A ampliação da transparência de suas ações pode ser um forte instrumento para alterar esse cenário de baixa confiança.”
Crise de liderança
A análise da pesquisa deste ano aponta para uma crise de liderança em todas as instituições. Quando julgados por seus comportamentos éticos, aqueles que comandam empresas e governos enfrentam o ceticismo dos cidadãos. Segundo o CEO da Edelman Significa, Yacoff Sarkovas, a crise de liderança requer uma profunda revisão de valores por parte dos líderes. “Por isso, cabe às instituições não apenas mudarem suas formas de comunicar, mas de se comportar – propósito, valores e atitudes.”, afirma Sarkovas.