“REDE DA CARIDADE” PROMETE PAGAR USUÁRIOS E AJUDAR ONGS


Olá pessoal!

Hoje vamos compartilhar uma publicação da ATN (http://atn.org.br) que trás uma ótima novidade para pessoas e ONGs. Trata-se da rede WOWAPP, que agrega funções de rede social, chat similar ao Whatsapp e comunicações através de áudio e vídeo, similar ao Skype.

A rede está crescendo muito no Brasil e no mundo, pois, além de oferecer facilidades gratuitas para os usuários, também irá permitir ganhos para seus usuários, que podem ser resgatados para si ou direcioná-los para Organizações Sociais sem fins Lucrativos (ONGs).

Para acessar a rede e tornar-se usuário, deve receber a aprovação de convite feito por alguém cadastrado. Para isso, acesse a esta rede do WOWAPP. Sejam bem vindos!

Vejam o artigo e conheçam mais detalhes:

wowapp

Já imaginou conversar com seus amigos por mensagens e vídeos e ainda ganhar dinheiro com isso? O app romeno WowApp Messenger promete realizar essa façanha e ainda oferece ao usuário a oportunidade de doar seus ganhos para ONGs.

“Em essência, todo usuário é um parceiro. Ele deve ser parte do nosso sucesso”, afirma Thomás Nobel, CEO do WowApp, em entrevista a EXAME.com.

O serviço segue um modelo parecido com o do Tsu, um tipo de “Facebook” que promete 90% de sua arrecadação diretamente para o usuário. A diferença é que o app romeno garante dividir “apenas” 70% de sua receita com o usuário.

Publicidade

“Nós ficamos com 30% da arrecadação, pois eu não acredito que é possível manter uma empresa com menos do que isso”, explica Nobel.

Com o aplicativo, o usuário pode criar chats particulares ou em grupo, fazer chamadas em áudio e vídeo e até ligar para telefones fixos e celulares de graça. Segundo o CEO, no próximo mês, o serviço de mensagens de voz será adicionado ao portfólio do app. Assim, em essência, o WowApp é uma mistura de Skype e WhatsApp.

O único serviço oferecido pela empresa que não é gratuito é o de chamadas internacionais. No entanto, o usuário não precisa depositar dinheiro na sua conta para fazer as ligações. Basta ele angariar alguns Wowcoins, as moedas virtuais do app. De acordo com Nobel, 100 Wowcoins valem um dólar – cerca de quatro reais na cotação atual.

Além da utilização desse recurso para as chamadas, também é possível sacar o saldo – não existe uma quantidade mínima, nem máxima, para fazer a retirada. O dinheiro é depositado na conta de preferência do cliente e, segundo Nobel, o usuário pode colocar os dados do cartão apenas quando for fazer o saque.

“Nós também queremos trazer outras maneiras de transferência para o Brasil, como o PayPal. Além disso, queremos tornar essas transações mais baratas”, explica o CEO.

Outro jeito de utilizar as moedas virtuais é a partir de doações para ONGs. Até agora, mais de duas mil instituições de caridade sediadas em 110 países tem parceria com o app – 17 só no Brasil, de acordo com Nobel. “Você pode doar o quanto quiser a partir de dez centavos de dólar. Logo o app terá a opção de doar dinheiro extra, que o usuário tirou do próprio bolso”, revela.

Como a empresa angaria fundos

Para distribuir o dinheiro para a comunidade, uma empresa precisa angariar fundos, certo? Segundo Nobel, o WowApp depende de apenas duas receitas para sobreviver: publicidade e ligações internacionais.

Isso significa que o usuário recebe uma comissão toda vez que um anúncio é adicionado no aplicativo. Outra maneira de embolsar dinheiro com o app é a partir de convites – que podem ser adquiridos com amigos ou a partir da página oficial do software. Conforme a lista de contatos cresce, mais o usuário lucra.

Desse modo, as primeiras pessoas que entraram na rede têm chances maiores de ganhar uma contribuição do que os usuários novos.

De acordo com o CEO, como o serviço chegou no Brasil recentemente – no dia 20 de outubro de 2015 – a quantidade de dinheiro adquirida pelo cliente ainda é baixa. No entanto, “se você convidar muitos amigos e utilizar o app regularmente, você verá seu rendimento crescer”, explica.

Para garantir que o usuário receba seu dinheiro, Nobel conta que o fundo voltado para os clientes é depositado em uma conta separada das aquisições da empresa.

Até a publicação desta reportagem, o WowApp já tinha cadastrado mais de 190 mil brasileiros. O aplicativo está presente em mais de 200 países e já possui 1,25 milhã de usuários. O app está disponível na App Store e no Google Play, além de também ser possível utilizá-lo em PCs Mac e Windows.

Receba o seu convite clicando aqui!

O vídeo abaixo mostra como o WowApp funciona:

Fonte: Exame.com

Anúncios

O café pendente…um breve conto sobre o poder da caridade desinteressada…


Olá pessoal!

Normalmente em nosso site publicamos situações relacionadas ao terceiro setor e tudo o que envolve necessidades e ações sociais no Brasil e no mundo. Hoje iremos publicar algo diferente do habitual.  Ao navegar rapidamente pelo facebook, notei uma postagem sobre um conto muito interessante e profundo. Ele fala sobre o cotidiano e a ação de pessoas que se preocupam com outras pessoas, outras coisas, etc., e o resultado disso tudo podemos chamar de CARIDADE.

De tão simples e objetivo que é, me fez pensar em compartilhar com mais pessoas pelo modelo e exemplo que ele passa.

Leiam a seguir esta pequena história e siga o modelo, não só no café, mas também em outros fatores do nosso cotidiano. Difundam este hábito….

café pendente

O café pendente

“Entramos em uma pequena cafeteria, pedimos e nos sentamos à uma mesa. Logo entram duas pessoas:
– Cinco cafés. Dois são para nós e três “pendentes”.
Pagam os cinco cafés, bebem seus dois e se vão. Pergunto:
– O que são esses “cafés pendentes”?
E me dizem:
– Espera e vai ver.
Logo vêm outras pessoas. Duas garotas pedem dois cafés – pagam normalmente. Depois de um tempo, vêm três homens e pedem sete cafés:
– Três são para nós, e quatro “pendentes”.
Pagam por sete, tomam seus três e vão embora. Depois um rapaz pede dois cafés, bebe só um, mas paga pelos dois.
Estamos sentados, conversamos e olhamos, através da porta aberta, a praça iluminada pelo sol em frente à cafeteria. De repente, aparece na porta, um homem bem humilde, com roupas baratas e pergunta em voz baixa:
– Vocês têm algum “café pendente”?

Esse tipo de caridade, apareceu pela primeira vez em Nápoles. As pessoas pagam antecipadamente o café a alguém que não pode permitir-se ao luxo de uma xícara de café quente. Deixavam também nos estabelecimentos, não só o café, mas também comida. Esse costume ultrapassou as fronteiras da Itália e se difundiu em muitas cidades de todo o mundo.

Fonte: PÁGINA OFICIAL: Carlos Hilsdorf