Brasil precisa construir 64 mil bibliotecas escolares até 2020 para cumprir meta


Imagem ilustrativa da biblioteca pública de Stutgart na Alemnha.

Modelo moderno para Bibliotecas – Imagem ilustrativa.

Olá pessoal, especialmente aqueles formados em Biblioteconomia ou então aqueles que estão cursando.

Vejam a seguir uma notícia interessante para vocês:

Escrito por  Thais Mendes Iannarelli do Instituto Filantropia

O Brasil precisa construir mais de 64,3 mil bibliotecas em escolas públicas até 2020 para cumprir a meta de universalizar esses espaços, prevista na Lei 12.244. A legislação, sancionada em 24 de maio de 2010, obriga todos os gestores a providenciarem um acervo de, no mínimo, um livro para cada aluno matriculado, tanto na rede pública quanto privada. A cinco anos do fim do prazo, 53% das 120,5 mil escolas públicas do país não têm biblioteca ou sala de leitura. A contar de hoje, seria necessário levantar e equipar mais de 1 mil bibliotecas por mês para cumprir a lei.

O levantamento foi feito pelo portal Qedu, da Fundação Lemann, com base em dados do Censo Escolar 2014 – levantamento anual feito em todas as escolas do país. Esses são os últimos números disponíveis e trazem informações tanto de instituições de ensino fundamental quanto de ensino médio.

Os dados mostram grande disparidade regional na oferta de bibliotecas escolares. Enquanto na Região Sul 77,6% das escolas públicas têm biblioteca, na Norte apenas 26,7% das escolas têm o equipamento e na Nordeste, 30,4%. No Sudeste, esse índice é 71,1% e no Centro-Oeste, 63,6%.

O Maranhão é o estado com menor índice de bibliotecas escolares – apenas 15,1% das escolas tem o equipamento – seguido pelo Acre (20,4%) e pelo Amazonas (20,6%). Na outra ponta do ranking, estão o Distrito Federal (90,9%), o Rio Grande do Sul (83,7%) e o Rio de Janeiro (79,4%).

De acordo com o levantamento, também há diferenças na oferta de bibliotecas entre as escolas de ensino médio e fundamental. Em melhor situação, 86,9% das escolas públicas de ensino médio públicas têm bibliotecas ou salas de leitura. No ensino fundamental, entretanto, o índice cai para 45%.

O coordenador de projetos da Fundação Lemann, Ernesto Martins Faria, explicou que, na edição de 2014, o Ministério da Educação (MEC), responsável pelo Censo Escolar, juntou os dados de sala de leitura e bibliotecas, ao passo que, em anos anteriores, esses números eram descritos de forma separada. Por esse motivo, não é possível comparar a evolução dos dados com anos anteriores.

Para a diretora de educação e cultura do Instituto Ecofuturo, Christine Fontelles, faltam recursos para todas as áreas da educação e, por esse motivo, a leitura não costuma estar entre as prioridades dos gestores. Coordenadora do projeto Eu Quero Minha Biblioteca, que ajuda professores, diretores, pais e alunos a requisitar e implantar bibliotecas nas escolas, ela ajuda na articulação com as secretarias de Educação e o MEC.
Para o presidente do Instituto Pró-Livro, Antônio Luiz Rios, uma biblioteca na escola contribui para a formação literária, melhora a escrita, o vocabulário e é fundamental para a formação do cidadão.

De acordo com a pesquisa Retrato da Leitura no Brasil 2012, feita pelo Instituto Pró-Livro, as bibliotecas escolares estão à frente de qualquer outra forma de acesso ao livro para crianças e adolescentes de 5 a 17 anos.

O Ministério da Educação informou que a instalação de bibliotecas é uma responsabilidade das escolas. De acordo com a assessoria da pasta, as instituições de ensino públicas recebem recursos federais para investimento em estrutura e cabe à escola decidir como gastar esse dinheiro.


Fonte: Agência Brasil

____________________________________

Aproveitando a matéria, quero compartilhar com vocês uma imagem da biblioteca pública de Stuttgart, na Alemanha.

stuttgart-city-library-interior

Imagem ilustrativa.

______________________________________

Esteja preparado para vagas de trabalho! 

Acesse nossa área de cursos: INSTITUTO SABEDORIA

Participe de nossos cursos nas áreas de criação de Organizações Sociais, Planejamento, Gestão, Captação de Recursos, Organização, Profissionalização e Voluntariado.

O que você está esperando?

____________________________________

Anúncios

Lançamento do 3º Concurso Cidadonos acontece no próximo dia 17 em Jundiaí


Olá pessoal,

Compartilhamos com todos uma chamada para o 3º Concurso Cidadonos em Jundiaí.

O evento acontecerá em 17/04/2015 e vem com uma proposta de aproximação da comunidade com as soluções que a cidade necessita.

Vejam a seguir a chamada:

small_Logo_Cidadonos_c_pia

Lançamento do 3º Concurso Cidadonos acontece no próximo dia 17

 O tema deste ano, “fazer acontecer”, visa incentivar a população a criar iniciativas autônomas, acompanhar o andamento e também cobrar a realização das propostas vencedoras junto ao poder público municipal

 No próximo dia 17 (sexta-feira), a partir das 19 horas, será lançada a terceira edição do Concurso Cidadonos no Senac Jundiaí, cujo tema será “fazer acontecer”. Após um coquetel de recepção aos convidados, o funcionamento do concurso e um balanço das edições anteriores serão apresentados. O Cidadonos é promovido pelo movimento Voto Consciente, com apoio do Instituto Cidade Democrática.

Realizado em anos não eleitorais, o Cidadonos ocorre como uma forma organizada de a população participar ativamente das mudanças que almeja para a cidade. Em cinco fases – Inspiração, Propostas, Aplauso, União e Anúncio –, os moradores de Jundiaí podem acessar o site www.cidadonos.org.br para propor mudanças, apoiar ideias e discutir demandas atuais.

A atual fase, de Propostas, continuará até o dia 7 de junho. Durante este período, é possível sugerir melhorias na Segurança Pública, Saúde, Mobilidade Urbana, Cultura e qualquer outra área do município. É importante esclarecer que independentemente de participarem ou não como proponentes, as pessoas podem integrar o concurso ao “seguirem” e comentarem ideias, a fim de contribuírem para o aprimoramento das mesmas. Ao final, serão escolhidas as 12 propostas mais relevantes.

Um dos organizadores voluntários do Cidadonos, Henrique Parra Parra Filho, afirma que o concurso é uma forma de ressaltar que, mais do que oferecer ideias, é necessário que a população acompanhe o andamento das propostas vencedoras e cobre sua realização junto aos governantes (gestores, vereadores, deputados, secretários e prefeito). “O Cidadonos busca, sobretudo, fortalecer a participação social e resgatar a capacidade de o cidadão influenciar decisões políticas na cidade”, opina. “Estimula o surgimento de comunidades de colaboração e coletivos, além de construir uma cultura da participação, por meio da educação política para a cidadania”, complementa.

 Serviço:

 Lançamento do Concurso Cidadonos

17 de abril, sexta-feira, às 19 horas, no Senac Jundiaí

Rua Vicente Magaglio, 50, Jardim Paulista I

 Cidadonos: www.cidadonos.org.br

 

Caso desejem mais  informações favor entrar em contato com:

Renata Susigan

11 4522-2142

jornalismo@iocomunica.com.br
www.iocomunica.com.br

Veja como fica uma casa construída por garrafas Pet


Olá pessoal!

Num mundo onde encontram-se muitos desafios a serem vencidos, principalmente para comunidades de baixa renda, surgem soluções maravilhosas, que permitem que pessoas possam viver dignamente e em comunidade. Hoje estamos compartilhando com vocês uma dessas soluções, que permitiu ao pedreiro Ed Mauro Aparecido Morbidelli construir sua casa através desta técnica.

Sabemos que trata-se de uma solução não muito recente, mas que vale a pena ser divulgada. Vejam a seguir a matéria do site http://ciclovivo.com.br/.

Pedreiro usa 11 mil garrafas PET para construir sua própria casa em MG

casa de pets

Construir usando garrafas PET é um jeito muito eficiente de resolver dois problemas de uma só vez: colaborar para a preservação ambiental, ao mesmo tempo em que reduz os custos da obra. Essa conclusão foi confirmada pelo pedreiro Ed Mauro Aparecido Morbidelli, que aproveitou a técnica para erguer a sua própria casa.

Localizada em Extrema, cidade mineira próxima à divisa com São Paulo, a residência possui cem metros quadrados e tem as suas principais paredes fabricadas com uma base que mescla garrafas plásticas cheias de terra, terra e cimento. Em entrevista ao CicloVivo, Morbidelli explica que foram usadas 11 mil garrafas PET em todo o projeto.

casa de pets2

Esta técnica evitou que uma enorme quantidade de plástico fosse descartada e ajudou a substituir outros tipos de materiais tradicionais à construção civil. Esta foi a principal motivação para Morbidelli. “O que me inspirou foi a possibilidade de estar reaproveitando um material que traz tanto mal ao nosso meio ambiente se descartado em lugares inapropriados e que assim eu pudesse fazer algo diferente e poder mostrar que é possível reaproveitar mais nossos lixos”, comentou. Mesmo sendo uma construção não convencional, o resultado e a eficiência da residência são iguais aos de uma casa comum e em alguns pontos são ainda melhores.

casa de pets3

O pedreiro levou dois anos para ter a casa finalizada, com telhado e acabamento, também feito de forma sustentável em barro. Segundo ele, é preciso ter paciência. “Não se consegue levantar uma casa assim com o mesmo tempo de uma casa normal. Precisa ter paciência e persistência, mas o resto acaba sendo do mesmo jeito”, explicou.

casa de pets4

Segundo Morbidelli, uma das principais diferenças ao trabalhar com o plástico é a dificuldade maior no assentamento, mas as facilidades e benefícios também são importantes. Um dos objetivos do projeto era ter uma casa que armazenasse o calor interno durante o frio e mantivesse o ambiente fresco durante o calor e a proposta foi alcançada com sucesso. Além disso, a estrutura com garrafas facilita a instalação dos sistemas hidráulicos, por exemplo. Como não é necessário cortar paredes, basta encaixar a estrutura entre as garrafas e chumbar.

casa de pets5

“Optei por um alicerce de pedra onde eu conseguiria fazer na mesma largura da garrafa e que esse alicerce não deixaria subir a umidade da terra para as paredes”, explicou o pedreiro sobre a estrutura. A técnica sustentável não foi usada somente nas paredes. Ao invés de usar os materiais tradicionais para o acabamento, o construtor usou barro e o arrimo foi feito com pneus reaproveitados. O resultado é uma casa altamente eficiente e com custos muito baixos.

casa de pets6

Um grupo de estudantes paulista também usou técnica semelhante para construir a Casa PET. Clique aqui e veja os detalhes desse projeto.

Por Thaís Teisen – Redação CicloVivo

Banco Tupinambá: promovendo o crescimento de pessoas e comunidades


cabecalho-banco

Olá Pessoal!

Transformar positivamente a vida das pessoas e situações é um dever de todos nós.

Em todas as partes do planeta observamos fatos e acontecimentos que promovem esta condição e são dignas de apoio e divulgação, como forma de permitir que este DNA se espalhe pelo mundo e provoque avalanches de mudanças positivas na vida de todos os envolvidos.

Dentro deste contexto, vamos falar hoje sobre uma instituição localizada na Ilha do Mosqueiro, a qual faz parte do município de Belém do Pará.

ilha mosqueiro2

A ideia surgiu a partir dos problemas que afligem muitas cidades pelo Brasil, como falta de oportunidades, infraestrutura, desenvolvimento sustentável, etc., onde viviam basicamente à base da pesca e turismo. Foi então que Ivoneide Vale teve a ideia de criar uma organização que pudesse levar a força para as pessoas, no sentido de impulsioná-las para novos tempos e seguindo o velho e sábio conselho de crescimento comunitário, “Ensinar a pescar, do que dar somente o peixe”, idealizou a BANCO COMUNITÁRIO TUPINANBÁ, cuja missão é “Promover o desenvolvimento econômico da comunidade da Baía do Sol, através de serviços financeiros, social e cultural tendo como base os princípios da Economia Solidária.” 

tupinambá comercio

As principais diretrizes que movimentam as ações do Banco e os fazem sua razão de existir são:

  • Organizar redes de prosumidores (produtor + consumidor)
  • Desenvolver a comunidade da Baía do Sol
  • Desenvolver o empreendedorismo na comunidade
  • Fortalecer a moeda social
  • Promover o consumo solidário
  • Incentivar a cultura regional
  • Oferecer serviços financeiros econômicos

Estas e outras ações estão sendo determinantes para a vida de toda a comunidade, transformando positivamente a vida das pessoas, sendo um ponto de destaque a criação de uma moeda local (MOQUEIO) que movimenta toda a economia e moradores da região.

moeda moqueio

Poderíamos ficar falando sobre seus projetos por muito tempo, mas preferimos que assista o vídeo a seguir que fala sobre a Instituição, seus objetivos, resultados e depoimentos:

Visite o site http://bancotupinamba.blogspot.com.br/ e conheça detalhes deste belo projeto.

Oi FUTURO ABRE INSCRIÇÕES PARA EDITAL DO PROGRAMA Oi NOVOS BRASIS 2012


 

  • Programa vai selecionar projetos socioambientais para receberem apoio técnico e financeiro.
  • Instituto de responsabilidade social da Oi amplia prazo de apoio de 15 para 24 meses; inscrições terminam dia 15 de setembro.

O Oi Futuro, instituto, de responsabilidade social da Oi, abre nesta quarta-feira (25) as inscrições para o edital do Programa Oi Novos Brasis. O programa, que chega à sua 9ª edição, seleciona projetos socioambientais que visem à sustentabilidade, em suas três dimensões: social, econômica e ambiental. As inscrições vão até as 17h do dia 15 de setembro.
A novidade desta edição é a ampliação de 15 para 24 meses do apoio técnico e financeiro oferecido aos projetos selecionados. “Buscamos viabilizar ideias inovadoras de todo o país para acelerar o desenvolvimento humano, notadamente aquelas que utilizem a educação e as tecnologias da informação e comunicação”, afirma José Augusto da Gama Figueira, presidente do Oi Futuro. “Nossa expectativa é que o aumento do prazo de apoio gere resultados ainda mais expressivos e perenes para a população beneficiada por esses projetos”, acrescenta.

Serão selecionados projetos voltados para o desenvolvimento de Tecnologias Sociais visando à melhoria da qualidade de vida, a diversidade e a inclusão social. Outra novidade é que a partir de 2012 o Oi Futuro passa a integrar seu programa de apoio a projetos de Meio Ambiente ao Programa Oi Novos Brasis. “Em nossa experiência, temos observado uma crescente  convergência entre ações sociais e ambientais, de forma que essa integração surgiu como uma
evolução natural do programa”, destaca José Augusto da Gama Figueira.

O edital é aberto a organizações sem fins lucrativos, regularmente constituídas e legalizadas há pelo menos 01 (um) ano, com projetos em fase de planejamento ou andamento nas seguintes áreas: Educação para a Sustentabilidade, Garantia de Direitos (em especial no âmbito da acessibilidade) e Geração de Trabalho e Renda (qualificação profissional e empreendedorismo).

As inscrições, gratuitas, poderão ser feitas pelo representante legal do proponente ou por seu procurador formalmente autorizado, somente pelo site http://www.oifuturo.org.br. A seleção para o edital do Programa Oi Novos Brasis 2012, serão considerados os seguintes critérios:

– Construção de novas realidades econômicas, sociais e ambientais, por meio de ações inovadoras, inclusivas e que valorizem a diversidade;
– Capacidade de mobilização de comunidades e segmentos sociais;
– Utilização de tecnologias sociais que promovam a inclusão social e a democratização do conhecimento;
– Potencial de reaplicação por organizações da sociedade e instituições do poder público;
– Valorização de parcerias com organizações que tenham um histórico de atuação no território ou no bioma de realização do projeto, de maneira a extrair e difundir aprendizagens;
– Utilização de tecnologias sociais que valorizem a educação e a gestão ambiental, entendendo-se tecnologias sociais como os produtos, as técnicas ou as metodologias capazes
de gerar resultados efetivos de transformação social nas comunidades por elas beneficiadas;
– Aplicação das tecnologias de informação e comunicação (TICs), definidas pelo edital como todos os meios que possibilitem digitalizar e transmitir informações à distância e que permitam o trabalho colaborativo em rede;
– Identificação clara dos problemas e necessidades a serem enfrentados pelo projeto na comunidade beneficiária.

Construindo Novos Brasis

O edital 2012 do Oi Novos Brasis, do Instituto Oi Futuro, traz um reforço na atuação do programa em Educação para Sustentabilidade e na Garantia de Direitos, com foco em acessibilidade, linhas que já vinham sendo trabalhadas, com êxito, em edições anteriores.
Na sua edição 2011, por exemplo, constavam, entre os selecionados, projetos significativos, como a Eco Rede – Rede Comunitária de Desenvolvimento Ambiental, do Grupo Alfazendo-Brasil, que se dedica à educação ambiental e geração de trabalho e renda a partir do  proveitamento de materiais recicláveis, na Cidade de Deus e no Complexo da Maré (RJ).
Também na lista de selecionados de 2011 figura o projeto “Um Olhar Para a Cidadania”, que recebeu o Prêmio Piauí de Inclusão Social 2011. Seu objetivo é preparar deficientes visuais para atuarem como locutores de rádio e contribuir para a disseminação de mensagens importantes para a cidadania de pessoas com deficiência.
O programa Oi Novos Brasis 2011 apoiou ainda o projeto “Convivência com a Realidade Semiárida – Socializando Saberes”, do Centro de Educação Popular e Formação Social (CEPFS), que há mais de 20 anos vem promovendo ações que fomentam o desenvolvimento rural  sustentável no médio sertão paraibano. O projeto tem como objetivo a construção de cisternas e a implantação de unidades de beneficiamento de frutas nativas em três cidades da Paraíba: Matureia, Teixeira e Mauá.

 

SERVIÇO:
Programa Oi Novos Brasis 2012
Inscrições: de 25 de julho às 17h de 15 de setembro
Exclusivamente pelo site: http://www.oifuturo.org.br
Mais informações:
Comunicação Corporativa – Oi
Leïlah Accioly
leilah.accioly@oi.net.br
Oi Móvel: (21) 8834-0055
Oi Fixo: (21) 3131-3082

 

Brasil Carinhoso chega a mais 57 mil famílias em julho


Fonte: http://www.promenino.org.br

Benefício destinado a famílias com crianças de até 6 anos visa superar a extrema pobreza na primeira infância. Ação do Plano Brasil Sem Miséria complementa a renda de quem recebe até R$ 70 por pessoa ao mês, caso de Roziane Oliveira, de Juiz de Fora

Brasília, 30 – Um montante de R$ 1,8 bilhão está sendo destinado à população pobre até 31 de julho pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) com o pagamento do Bolsa Família. Desse total, R$ 169,8 milhões são do Benefício para Superação da Extrema Pobreza na Primeira Infância (BSP), pago a 2 milhões de famílias com crianças de até 6 anos e renda mensal por pessoa inferior a R$ 70.

Em julho, mais 57,6 mil famílias começaram a receber o BSP, que integra a ação Brasil Carinhoso do Plano Brasil Sem Miséria. O crescimento equivale a recursos da ordem de R$ 5 milhões. “Esse aumento se deve à inclusão de famílias que atendem ao critério do benefício”, explica o diretor da Secretaria Nacional de Renda de Cidadania do MDS, Walter Emura.
O novo benefício do programa de transferência de renda visa fazer com que essa parcela da população ultrapasse a linha da extrema pobreza. O valor corresponde à soma necessária para que a renda da família ultrapasse R$ 70 por pessoa, incluindo crianças e adultos.

O dinheiro extra do Brasil Carinhoso recebido pela beneficiária Roziane Lúcia Ferreira de Oliveira, 29 anos, de Juiz de Fora (MG), representou mais comida na mesa. “Fiquei muito alegre quando fui receber R$ 198 e sai com R$ 375. Passei no supermercado e fiz compras”, conta Roziane. Com mais dinheiro, ela pode incluir itens como frutas e iogurte para alimentar os quatros filhos, com idades entre 3 e 14 anos.

Com o marido desempregado ou fazendo bicos, a beneficiária da cidade mineira usa os recursos do Bolsa Família para comprar leite, fralda e material escolar. O principal investimento da família é na alimentação. Ela viu a renda aumentar, mas não sabia que os motivos eram o filho de 3 anos, Samuel de Oliveira, e a renda por pessoa inferior a R$ 70.

Roziane Oliveira reconhece a importância da frequência escolar e, durante a semana, cuida para que os filhos não faltem às aulas. O único período em que eles não cumpriram os índices exigidos foi em 2009. Ela lembra que à época a família estava num abrigo distante da escola. Nos fins de semana, a beneficiária deixa as crianças com o marido, Geelson Inácio de Oliveira, 32 anos, e vai vender vassouras para reforçar o orçamento familiar.

Benefícios – Com o pagamento do BSP iniciado em junho, o Bolsa Família passou a ter quatro benefícios diferentes, que podem ser somados de acordo com o perfil do público atendido: o BSP, o básico de R$ 70 destinado também às famílias extremamente pobres – independentemente de terem filhos ou não –, o variável de R$ 32 por criança de até 15 anos, gestante e nutriz, limitado a cinco, e o variável de R$ 38 vinculado aos jovens de 16 e 17 anos, limitado a dois. As famílias pobres, ou seja, com renda entre R$ 70 e R$ 140, recebem somente os valores referentes a crianças e adolescentes.

O pagamento de todos os 13,5 milhões de famílias atendidas será liberado até 31 de julho, mas os valores ficam disponíveis para saque nos postos de atendimento da Caixa Econômica Federal por 90 dias. Os recursos não sacados nesse período retornam ao orçamento do MDS.

A maior parte do público do Brasil Carinhoso e do Bolsa Família está concentrado nas regiões Norte e Nordeste. A Bahia tem o maior número de BSP e, consequentemente, recebe volume mais expressivo de recursos: R$ 23,5 milhões. Em seguida, aparecem Maranhão, Ceará e Pernambuco.

Além de transferir renda, o Bolsa Família exige frequência à escola e visita aos postos de saúde a cada semestre. As duas contrapartidas são acompanhadas pelos municípios e pelos ministérios da Saúde e da Educação, parceiros do MDS na gestão do programa. Essas exigências contribuem para melhorar a situação de vida das futuras gerações. Para evitar a perda do benefício, é preciso também atualizar os dados cadastrais a cada dois anos. Neste ano, 1,5 milhão de famílias precisam renovar o cadastro até dezembro.

Fonte inicial: MDS – 30/07/2012

Abertas inscrições para projetos de promoção do Brasil ligados à Copa de 2014


O Diário Oficial da União (29.09) divulga a chamada pública, válida pelos próximos 30 dias, para a inscrição de projetos que integrarão a Programação Oficial do Governo Federal para a Promoção do Brasil pela realização da Copa do Mundo da FIFA 2014. A execução dos projetos está prevista para 2012, 2013 e o primeiro semestre de 2014. A análise e seleção será realizada por uma Comissão Especial constituída pela Resolução Gecopa nº 1, de 23 de setembro.

O processo seletivo servirá para identificar e definir os projetos que poderão obter apoio financeiro de órgãos ou entidades da administração pública federal direta e indireta ou a chancela institucional do governo federal. As inscrições são gratuitas e o envio de projetos deve seguir os parâmetros de um documento que exige, entre outros requisitos, descrição de objetivos, definição de público-alvo, estimativa de público, cronograma de execução físico-financeiro e estratégia de ação.

O Plano de Promoção do Brasil aborda a questão de uma forma ampla. As ações de publicidade, de relações públicas, de promoção de imagem e relacionamento com a imprensa são apontadas como indispensáveis ferramentas para garantir o sucesso do evento, especialmente para o fomento comercial, turístico e sócio-cultural.

Entre os atributos identificados como já atrelados ao Brasil estão: um povo alegre, com estilo de vida único e hospitaleiro, além de ser uma terra de grande beleza natural e diversidade cultural. As características a serem reforçadas são: economia forte e vibrante, capacidade de inovação, estabilidade da democracia e da economia, desenvolvimento com justiça social, esforço de sustentabilidade e cultura de paz e tolerância.

Documentos disponíveis:

1. Texto da chamada pública para inscrição de projetos (documento PDF)

2. Ficha de inscrição para os projetos (documento PDF)

3. Íntegra do Plano de Promoção do Brasil (documento PDF)

4. Resolução Gecopa nº1, de 23 de setembro de 2011 (documento PDF)

Fonte: Ministério do Esporte

Programa “Música nos Hospitais”


Fonte: www.apm.org.br

O programa Música nos Hospitais é uma realização da Associação Paulista de Medicina e do laboratório sanofi-aventis, em parceria com o Ministério da Cultura.

Desde 2004, quando estreou, o Música nos Hospitais já fez mais de 100 apresentações, marca atingida em 2010, beneficiando 25 mil pessoas, entre médicos, pacientes, colaboradores e visitantes das instituições de saúde.

Além de contemplar a capital paulista, a orquestra tem se apresentado em grandes centros hospitalares do interior do Estado. Em suas várias edições, o programa passou também pelas cidades de Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte e Salvador.

Os músicos pertencem à Orquestra do Limiar.

Regido pelo médico, maestro e compositor Samir Wady Rahme, o grupo é formado por jovens e talentosos músicos de cordas. Seu vasto repertório inclui peças de consagrados compositores brasileiros, escritas especialmente para o evento.

Além de promover a popularização da música erudita e estimular a formação de instrumentistas brasileiros, o programa tem por objetivo proporcionar momentos de conforto na rotina de quem está nos hospitais. Para pacientes que não têm condições de se locomover até o local do concerto, alguns músicos se apresentam nos andares de internação, preenchendo todo o ambiente hospitalar com boa música.