CVV – Curso de Capacitação de Voluntários


O Posto CVV Abolição, Vinculado ao Programa CVV de Apoio Emocional e Prevenção ao Suicídio realizara no dia 09 de Outubro de 2011, curso para capacitação de novos voluntários da entidade.

No dia do evento o horário será das 8:30hs às 18:30hs, onde sera apresentada a filosofia da entidade e a forma de conduta a ser seguida pelo voluntário.

INSCRIÇÕES:
As inscrições ou informações podem ser feitas pelo telefone (11) 3242-4111 apos as 15:OO hs às 23:00hs todo os dias ou por e-mail abolicao@cvv.org.br ou  15 minutos antes do curso.

DURANTE A ATIVIDADE:
Durante a atividade  que é gratuita – haverá seleção dos interessados em colaborar com a entidade. Para ser voluntário  vinculado ao Programa CVV Prevenção ao suicídio, Apoio Emocional e valorização da vida, basta ter mais de 18 anos, ter disponibilidade de tempo (média de 4 horas e meia por semana), disposição para ajudar o próximo e abertura para o autoconhecimento e ser treinado.

INSTITUIÇÃO SEM FINS LUCRATIVOS:
Instituição sem fins lucrativos os postos C.V.V., desenvolvem trabalhos de apoio emocional por meio de contatos telefônicos, atendimento pessoal, via correio, e-mail e mais recentemente, via chat, no próprio site da entidade (www.cvv.org.br).

CONFIRA O ENDEREÇO: http://www.cvv.org.br.

 

 

 

ATITUDE SOLIDÁRIA na TV Educativa de Jundiaí (TVE)


  

Olá pessoal!

O ATITUDE SOLIDÁRIA – Centro de Voluntariado de Jundiaí e região foi assunto na TV Educativa de Jundiaí na última segunda-feira (26/09/11).

O projeto foi tema principal da reportagem do Telejornal da TVE 2ª Edição e tratou da importância do voluntariado para as organizações sociais e do Centro de Voluntariado que está chegando para ficar e transformar as ações solidárias em Jundiaí e região.

A reportagem também comentou sobre ações voluntárias do Grendacc e com imagens do Lar Anália Franco que possuem uma área voluntária sólida e atuante.

Desta forma, compartilho com vocês o vídeo com a reportagem mencionada:

Caso tenham alguma dificuldade na visualização favor acessar http://www.youtube.com/watch?v=CUUydzT86As

Façam seus comentários, participem ativamente desta nova onda que está chegando para ficar e transformar a nossa região!

Visitem nosso Blog: http://atitudesolidária.wordpress.com  e opinem sobre os melhores assuntos que poderemos estar levando até vocês!

Alcoólicos e Narcóticos Anônimos


Fonte: http://nequidnimis.wordpress.com

O que é ?

Os Alcoólicos Anónimos ou Alcoólicos Anônimos ou AA são uma comunidade, com carácter voluntário, de homens e mulheres que se reúnem para alcançar e manter a sobriedade através da abstinência total de ingestão de bebidas alcoólicas.

Estes grupos autónomos que surgiram inicialmente nos Estados Unidos da América tiveram a sua raiz quando em 1935 um corrector da bolsa de Nova Iorque e um cirurgião de Ohio com um grave problema de alcoolismo decidiram criar uma comunidade de entreajuda para apoiar os que sofrem deste problema e para se manterem eles próprios sóbrios. Eventualmente os AA difundiram-se por todo o globo.

Sem carácter religioso, embora tenha incorporado muitos princípios de diversas religiões, a comunidade recebe pessoas de todas as doutrinas. Sobrevive financeiramente através dos seus próprios membros que contribuem espontaneamente, não aceitando financiamento proveniente de fora da própria Irmandade.

NARCÓTICOS ANÔNIMOS

http://www.na.org.br/portal/

O que é?

Narcóticos Anônimos ou Narcóticos Anónimos ou NA é uma organização sem fins lucrativos de apoio aos dependentes do uso de drogas. Ela está presente em mais de cento e trinta países, sendo mais de 300 grupos no estado de São Paulo, e desenvolve um programa de recuperação em doze passos que, com base em reuniões regulares entre os participantes, tem por objetivo auxiliá-los a parar de usar drogas. Não há matrículas ou taxas. O único requisito para ser membro é o desejo de parar de usar.

Narcóticos Anônimos nasceu nos Estados Unidos em meados de 1953, o seu crescimento foi lento até a publicação do Livro Azul (Texto Básico) na década de 1970. Desde então o mundo soube de uma nova ajuda para as pessoas que não conseguem se livrar das drogas.

ABEAD

http://www.abead.com.br/

Associação Brasileira de Estudo de Álcool e Drogas

UNIAD

http://www.uniad.org.br/

Drogas. Livros, vídeos e palestras perto de você
http://temporecord.wordpress.com/2011/09/26/dependencia-quimica-livros-e-palestras-perto-de-voce/

Hoje 27 de setembro

Perto do Norte Shopping

PALESTRA – TEMA: “DEPENDÊNCIA QUÍMICA”. – Jornal O Rebate

http://orebate-jorgehessen.blogspot.com/2011/09/palestra-tema-dependencia-quimica.htm

http://luzmaior.com.br/espiritismo/drogas-instituicoes-religiosas-familia

Rua: GETULIO nº 444 – CACHAMBI/RJ). TEMA: “DEPENDÊNCIA QUÍMICA”. Livro: ALCOOLISMO E DROGAS. Visão Espírita.

http://www.alcoolicosanonimos.org.br/

 

 

 

ATITUDE SOLIDÁRIA no jornal Bom Dia em Jundiaí


Olá pessoal!

O Atitude Solidária – Centro de Voluntáriado de Jundiaí e região, mesmo antes de iniciar as suas atividades, foi assunto do Jornal Bom Dia em Jundiaí neste domingo.

Acessem todas as informações no Blog do Atitude Solidária:  http://atitudesolidaria.wordpress.com

Faça parte desta grande Rede que vai se formar em Jundiaí e região

ATITUDE SOLIDÁRIA – CENTRO DE VOLUNTARIADO DE JUNDIAÍ E REGIÃO

 

 

Atitude Solidária – Centro de Voluntariado de Jundiaí e Região


Olá pessoal,

Apresento a vocês o ATITUDE SOLIDÁRIA – CENTRO DE VOLUNTARIADO DE JUNDIAÍ E REGIÃO que vem com a proposta de sedimentar, conscientizar e promover a prática voluntária em Jundiaí e região.

O projeto vem sendo desenvolvido por um grupo de pessoas coesas e interessadas no tema e está atualmente em fase de ações para implantação.

Sua sede será em Jundiaí, por ser um polo magnífico em todos os segmentos da sociedade, sejam nas áreas sociais através das organizações sociais e comunidades, corporativas através de 2 grandes Distritos Industriais e um comércio forte e atuante, educacionais através das Escolas, Colégios, Faculdades e Universidades e poder público através da Prefeitura e órgãos relacionados, impulsionando o crescimento da nossa região.

A área de ação abrangerá todos os municípios da Região de Governo de Jundiaí, que envolve ao todo 9 cidades (Jundiaí e aquelas existentes ao redor).

Estamos criando algumas ferramentas para dinamizar a comunicação com todos os segmentos da economia e sociedade e uma delas que vamos falar aqui trata-se do blog:  http://atitudesolidaria.wordpress.com.

O blog ainda entá em fase de desenvolvimento, mas permite algumas ações e comunicações.

A Alavanca Social, como uma das partes envolvidas no processo de criação, e consequentemente uma parceira da futura Organização Social, também atuará como uma das propulsoras de informações relacionadas ao Atitude Solidária.

Para inaugurar de forma oficial este blog, vejam a seguir as 4 últimas postagens:

O Planeta é Voluntário. E você?

Efeito Libélula: Pequenas Ações Criando Grandes Mudanças

Inicio da série o Poder das Mídias Sociais para resolver os grandes problemas mundiais: Case Charity Water

Voluntarismo ou Voluntariado?

Acessem, leiam, se inscrevam e opinem sobre nosso blog, o qual desejamos programar para ser um meio de informação e comunicação para todos, de forma agradável e produtiva.

Um forte abraço a todos!

VOLUNTARISMO OU VOLUNTARIADO?


Olá!

A nossa proposta hoje é discutir um tema apaixonante e intimamente ligado ao progresso e crescimento das comunidades.

Existem diversas formas de exercer o direito à cidadania, porém, um dos mais efetivos, trata-se do “VOLUNTARIADO”, o qual é movido por um combustível inesgotável chamado “SOLIDARIEDADE”. O grande diferencial do voluntariado é que não depende de fórmulas mágicas ou burocracias que as pessoas adoram criar, mas sim pelo simples desejo de ajudar…alguém, uma causa, um projeto…a si mesmo.

Para conhecermos um pouco mais sobre o que é Voluntariado, vejam a seguir uma matéria do PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento) Brasil, que trata de diferenças nas relações dentro da prática voluntária e solidária.

Vejam a postagem no site do Atitude Solidária – Centro de Voluntariado de Jundiaí e regiãohttp://atitudesolidaria.wordpress.com

 

 

 

 

 

 

Rodrigo Alvarez vê como promissora a carreira de captador de recursos


Fonte: http://www.idis.org.br/

O coordenador da pesquisa sobre a atividade, realizada no Festival Latino-Americano de Captação de Recursos – FLAC 2011, uma parceria do IDIS com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), acredita que a abordagem estratégica do tema pelas organizações impulsionará o desenvolvimento da função.

Em entrevista ao portal IDIS, Rodrigo Alvarez, coordenador do convênio The Resource Alliance e responsável pelo programa de mobilização recursos do IDIS, explica que objetivo da pesquisa “FLAC 2011 – O captador de recursos: quem é você?” foi conhecer melhor os profissionais que atuam na captação de recursos. Segundo ele, o captador de recursos do futuro deve ser um profissional com capacidades técnicas apuradas de comunicação, marketing, negociação, planejamento e finanças. O estudo, coordenado pelo professor Mário Aquino, da FGV, foi desenvolvido por Alvarez e pelo professor Fernando Nogueira, também da Fundação Getúlio Vargas.

Qual é o objetivo da parceria com a Fundação Getúlio Vargas?

Queremos gerar conhecimento sobre investimento social privado,  filantropia e mobilização de recursos com foco no Brasil, pois sempre utilizamos os parâmetros internacionais – principalmente americanos. Essa parceria se concretizará através da publicação de estudos de caso, papers, pesquisas e, no futuro, na criação de disciplinas de graduação e pós-graduação na grade de cursos ofertados pela Getúlio Vargas. A ideia da pesquisa de mapeamento sobre o profissional de captação de recursos surgiu como forma de direcionar melhor nossa participação no FLAC. Nas duas primeiras edições, coordenamos o Festival. A partir deste ano, com o Festival engrenado, assumimos um papel mais alinhado com nossa missão no setor, que é gerar conhecimento.

Quase a metade dos entrevistados na pesquisa atuam como captadores de recursos. A área está em expansão?
Sim. Com o crescimento econômico brasileiro, a filantropia privada também está avançando. Até hoje, predominou no País a participação governamental, da cooperação internacional, ou privada, assistencialista na composição de receitas das organizações sem fins lucrativos brasileiras. Nossa percepção é que irá crescer a participação quantitativa e qualitativa de indivíduos e empresas como apoiadores e promotores de causas, o que vai requerer, do lado das organizações da sociedade civil, um perfil de um profissional com capacidades técnicas apuradas de comunicação, marketing, negociação, planejamento e finanças.

O estudo também mostra que muitos captadores acumulam a atividade com outras funções. Não seria melhor que se dedicassem exclusivamente à captação?

pesquisa mostra que o mercado ainda é uma Babel, com diversos tipos de perfis profissionais atuando nessa área. Há organizações em que o captador é o próprio idealizador/gestor da organização, enquanto outras têm captadores terceirizados e em outras os profissionais dividem seu tempo entre funções administrativas e a de captador. Mas também já temos organizações em que o profissional consegue se dedicar exclusivamente à função. A forma de evitar o acúmulo de atividades é criar uma área específica de captação de recursos.

Qual é o caminho da profissionalização do captador?
Em primeiro lugar, ele deve procurar formação específica no tema – no Brasil, ou em outros países. Também é importante que a organização em que trabalha considere essa atividade estratégica e esteja disposta a investir na criação de uma área de captação de recursos, desde que tenha condições para isso.

Como você vislumbra o futuro dessa atividade?

Deve estar mais estruturada, gerando interesse para que estudantes a considerem um possível caminho profissional. Também deve estar mais segmentada: haverá captadores de recursos especializados em pequenos doadores individuais, com especialidade em ferramentas de marketing tradicional e digital; outros captadores serão especializados em grandes doadores, com trânsito e credibilidade para apoiar indivíduos de alto poder aquisitivo a realizarem seu investimento social; e, finalmente, outros que serão especializados no desenvolvimento de parcerias com empresas. Pesquisas internacionais revelam que a função deve se integrar cada vez mais com a área de comunicação, gerando um profissional que é muito mais um mobilizador da causa do que propriamente uma pessoa que busca dinheiro para a manutenção de uma entidade.

Reintegração social – Programa Começar de Novo


Até onde vai a nossa responsabilidade por tudo o que acontece ao nosso redor?

Você é uma daquelas pessoas que se exclui da responsabilidade de mudar o entorno de sua vida?

Por que existe uma ausência de valores quando o assunto envolve a reintegração de pessoas no seio da sociedade?

Será que estas pessoas, por terem cometido algum erro ou crime em algum momento de suas vidas não tem mais a chance de COMEÇAR DE NOVO?

O programa Começar de Novo, criado pelo CNJ – Conselho Nacional de Justiça, vem para oferecer esta oportunidade às pessoas e consequentemente às famílias dos envolvidos, trazendo esperança e um ar de renovação na vida e sonhos de cada um. Aquelas que verdadeiramente desejam retomar suas caminhadas, tem esta oportunidade.

Vejam a seguir uma reportagem sobre este assunto elaborado pela Fiesp:

Por falta de oportunidade, 70% dos ex-detentos retornam a criminalidade

Convênio para manutenção do Projeto Começar de Novo pemitirá a capacitação profissional àqueles que desejam recomeçar suas vidas


Paulo Skaf discursa durante evento do programa Começar de Novo da Fiesp e do CNJ

Sensibilização de órgãos públicos e entidades da sociedade civil para que sejam fornecidos postos de trabalho e cursos de capacitação para os ex-detentos, promovendo a cidadania e, consequentemente, uma diminuição dos índices de criminalidade.

Este é o objetivo do Projeto Começar de Novo, inciativa do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), com apoio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e Senai-SP.

Durante a abertura do Encontro Nacional do projeto nesta segunda-feira (5), Paulo Skaf, presidente da Fiesp e Senai-SP, e o ministro Cezar Peluso, presidente do Superior Tribunal da Justiça (STJ) e do CNJ, assinaram, no Teatro do Sesi São Paulo, a renovação do convênio entre as entidades para manutenção do projeto.

Skaf afirmou que o principal objetivo do projeto é romper o ciclo da criminalidade, ofertando aos detentos e egressos uma oportunidade de retomar os estudos, por meio do Telecurso, e dos cursos de capacitação profissional oferecidos pelo Senai-SP.

“O acesso à educação é uma forma correta e eficiente de combater a criminalidade. Com isso também daremos chance para aqueles que cometeram um erro e desejam começar suas vidas de novo. Isso é o que toda a sociedade quer”, disse.


Ministro Cezar Peluso, presidente do STJ e do CNJ

Segundo o ministro Cezar Peluso, um dos pilares da democracia moderna é garantir a dignidade da pessoa humana, e este principio inclui os indivíduos que cometeram algum delito.

De acordo com o presidente do CNJ, 500 mil pessoas cumprem pena no Brasil. Quando libertos, 70% retornam à criminalidade. Para reduzir esses índices, Peluso acredita que o Estado e a sociedade civil precisam criar e fomentar politicas públicas sólidas que propiciem a reintegração do infrator.

“Existe uma resistência muito grande para contratação de ex-detentos. Os regressos estão pouco preparados para trabalhar numa empresa e se comportar em sociedade”, afirmou Peluso, completando que “a melhor maneira de combater a criminalidade é acolher o ex-detento na sociedade.”

Cartilha

Durante o evento, Peluso lançou a cartilha Programa Alocação de Mão de Obra Prisional no Estado de São Paulo. O documento deve orientar os detentos e futuros empregadores sobre seus direitos e deveres no mercado de trabalho e na convivência em sociedade.

“Precisamos promover a reinserção social dos infratores ao meio social como finalidade educativa e social, possibilitando a recuperação da autoestima e dignidade humana”, acrescentou.

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp