Fundação ACL convida para Palestra na área da Saúde


  

A Fundação ACL, localizada no bairro da Vila Mariana na cidade de São Paulo, convida a todos para participarem de palestra relacionada à área da Saúde, com assuntos de importância para todos.

Vejam a seguir uma chamada para o evento que será gratuíto: Increvam-se e participem!

 

Quem se ama, se cuida!

Se você se preocupa com sua saúde e busca informações para melhorar sua qualidade de vida, venha assistir a uma Palestra Médica Gratuita!

A palestra tratará de assuntos relacionados a Hábitos alimentares, Tipo Sanguíneo, Estilo de Vida, Medicina Alternativa,       Influências eletromagnéticas e muito mais !

Tire suas dúvidas e seja uma pessoa cada vez mais saudável!

 

Dra. Sumie Iwasa

Fundação ACL – Rua Capitão Cavalcanti, 297 – Vila Mariana

Quando: 16 de Setembro  à partir das 8hs  * ( preenchimento de cadastro médico)

Vagas limitadas !    Reserve a sua pelo fone: 2432-6060  ou email:  ambbdort@gmail.com

 

A Fundação ACL é uma organização sem fins lucrativos e atua com um ambulatório médico filantrópico em medicina alternativa entre outras atividades.

Para maiores informações acesse o site: www.acl.org.br  – ligue: 5549-3880 ou mande email  : acl@acl.org.br.

Evento Grendacc: 1ª Noite Brega


PARTICIPEM E AJUDEM O GRENDACC A REALIZAR SUA OBRA!

Acessem http://www.grendacc.org.br e conheçam o trabalho realizado por lá!

Grendacc Jundiaí lança campanha para tratamento de pessoas com Câncer


CAMPANHA DE MEDICAMENTO

O Grupo em Defesa da Criança com Câncer – GRENDACC – é uma entidade filantrópica de apoio  a crianças portadoras de doenças oncológicas e hematológicas, bem como às suas famílias. Sua sede fica na Av. Dr. Manoel Idelfonso A. Castilho, 300 – Parque da Represa – Jundiaí-SP, onde aguardamos sua visita. A finalidade do grupo é dar apoio aos seus assistidos através de atendimento médico, psicológico, social, pedagógico, fisioterápico, nutricional e odontológico, além de complementação alimentar com o fornecimento de bolsas de alimentos e medicamentos de alto custo, próteses, cateteres e pagamento de exames específicos tais como mapeamento ósseo e ressonância magnética, entre outros.

Para manter esse trabalho temos um custo mensal de R$ 250.000,00. São 2.500 atendimentos realizados todos os meses, em benefício de 350 pacientes, de zero a 19 anos de idade, vindos de toda a região.

Mas ainda temos um grande desafio pela frente: construir a segunda fase do Hospital Bolívar Risso, que hoje funciona como Ambulatório. Nesta segunda fase, em prédio anexo ao do Hospital Dia, serão instalados Centro Cirúrgico, UTI e Área de Internação. A obra está estimada em R$ 2,5 milhões e somente com a sua conclusão o Grendacc poderá garantir atendimento integral a seus pacientes, não havendo mais a necessidade de encaminhá-los a outros hospitais seja para internação ou realização de cirurgias .

Estamos buscando apoio para garantir o tratamento de 2 pacientes que tem

OSTEOSSARCOMA, eles utilizam no tratamento 3 tipos de quimioterapia: METOTREXATO, CISPLATINA E DOXORRUBICINA. O custo mensal do tratamento de 1 paciente R$ 15.000,00 e do outro é de R$ 22.500,00, totalizando R$ 37.500,00

 

Por isso contamos com a colaboração da sua conceituada empresa, ajudando dentro de suas  possibilidades.

 

Agradecemos a atenção e aguardamos um retorno o mais breve possível, bem como a visita dos senhores à sede de nossa instituição.

Dir. Presidente do GRENDACC

Sra. Verci A. Bútalo

GRUPO EM DEFESA DA CRIANÇA COM CÂNCER – GRENDACC

C.N.P.J nº 00.797.397/0001-94

Av. Dr. Manoel Ildefonso Archer Castilho, nº 300, Parque da Represa, Jundiaí-SP,

CEP 13214-550, http://www.grendacc.org.br, grendacc@grendacc.org.br

Entidade de Utilidade Pública Federal, Estadual e Municipal. Registrada no Conselho Nacional de Assistência Social – CNAS. Inscrita no Conselho Municipal de Assistência Social – CMAS. Registrada no Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Jundiaí – CMDCAJ.

Jundiaí aprova proposta sobre “Dia do Voluntariado”


A Câmara Municipal de Jundiaí aprovou ontem (30/08/2011) um projeto de lei que institui o dia 28 de agosto para ser comemorado como o DIA DO VOLUNTARIADO no município de Jundiaí.

O projeto foi de autoria do vereador do Partido Verde (PV) Paulo Sergio Martins que visa uniformizar comemorações em todo o país pelo mesmo motivo, além de valorizar uma ação extremamente importante para as comunidades e sociedades em todo o mundo em que esta ação é empreendida.

Vejam a seguir a íntegra do pedido:

COMISSÃO DE JUSTIÇA E REDAÇÃO        PROCESSO Nº 60.604
PROJETO DE LEI Nº 10.748 de autoria do Vereador PAULO SERGIO MARTINS, que inclui no Calendário Municipal de Eventos o “DIA DO VOLUNTARIADO” (28 de agosto).

PARECER Nº 1136
Trata-se de análise do projeto de lei de autoria do vereador Paulo Sergio Martins, que inclui no Calendário Municipal de Eventos o “DIA DO VOLUNTARIADO” (28 de agosto).
Conforme o parecer da Consultoria Jurídica de  fls. 06, que acolhemos na íntegra, o presente projeto de lei se encontra revestido da condição de legalidade e constitucionalidade, encontrando amparo na Lei Orgânica de Jundiaí – art. 6º, “caput”, c/c o art. 13, I, e art. 45, eis que trata de norma de reprodução da Lei Federal 7352/85, inserindo a
efeméride em nível municipal.

Desta forma, subscrevemos à justificativa, e concluímos votando favorável à tramitação do presente projeto.

É o parecer.
Sala das Comissões, 26.10.2010.

PAULO SERGIO MARTINS
Presidente e Relator

Vamos acabar com a FOME? Assinem a petição!!!


Clique aqui e ajude a acabar com a fome no mundo

Faça pressão sobre os políticos para acabar com a fome. Assine a petição, e reivindique ação onde quer que esteja.

Patrocínio Eletrobras Programa Furnas Social 2011


 
As inscrições foram prorrogadas até 31/08
Atendendo a pedidos, a Eletrobras Furnas prorroga, até dia 31 de agosto, as inscrições para participação do Programa Eletrobras Furnas Social 2011
FURNAS CENTRAIS ELÉTRICAS S.A. comunica que receberá, no período de 13 de julho a 31 de agosto de 2011, inscrições procedentes de Instituições sob responsabilidade de organismos governamentais, não governamentais e comunitários, municipais, estaduais e federais, Conselhos Estaduais ou Municipais dos Direitos das Crianças e dos Adolescentes, entidades filantrópicas privadas sem fins lucrativos, voltadas para o atendimento às comunidades menos favorecidas, tais como: asilos, creches, hospitais, postos de saúde e afins, associações beneficentes e de atendimento a portadores de necessidades especiais, para participação no Programa Eletrobras Furnas Social com o objetivo de destinar recursos financeiros, no total de até R$ 5.000.000,00 (cinco milhões de reais), para as Instituições selecionadas que estejam alinhadas com a Política de Responsabilidade Social de FURNAS.
O Programa Eletrobras Furnas Social abrangerá os estados de atuação da Empresa – Espírito Santo (ES), Goiás (GO), Mato Grosso (MT), Minas Gerais (MG), Paraná (PR), Porto Velho (RO), Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Tocantins (TO), Santa Catarina (SC) e Distrito Federal (DF) e terá validade até dezembro de 2012.
 Anna Caroliny Arruda
Coordenadora de Projetos e Captadora de Recursos
Lar Nª Srª do Perpétuo Socorro
Fone: 38 3221-2259 / 38 9964-1563

ONGs: a urgência de um novo marco regulatório


Fonte: Abong (Nota Pública)

A recente onda de denúncias relacionadas à Operação Voucher, da Polícia Federal, que resultou na prisão de ocupantes de cargos no Ministério do Turismo, pelo suposto envolvimento em desvio de recursos públicos por meio de convênios firmados com organizações não governamentais (ONGs), explicita novamente a importância de regulamentação da atuação das organizações da sociedade civil no Brasil e de se elaborar uma política de Estado que assegure autonomia política e econômica a elas.

O debate se insere em um contexto de deslegitimação e criminalização das ONGs e movimentos sociais, a despeito de seu protagonismo no processo de democratização do País, das experiências que desenvolvem na área social e da sua participação na articulação de movimentos de cidadania planetária. Ainda que seja fundamental a atuação das ONGs na conformação de relações sociais mais igualitárias, permanece a insegurança jurídica neste campo de atuação. Isto prejudica o necessário fortalecimento dos processos organizativos e participativos em que as organizações se inserem, e favorece práticas clientelistas engendradas nas relações entre governantes, entidades de fachada e iniciativa privada.

Por isso, durante o processo eleitoral, em 2010, cerca de 200 organizações e movimentos sociais, dentre as quais a ABONG, subscreveram e encaminharam aos presidenciáveis uma Plataforma por um Novo Marco Regulatório para as Organizações da Sociedade Civil. Respondendo à iniciativa, Dilma Roussef se comprometeju a, no prazo de um ano após a posse, construir esse novo marco político e legal articulando as instâncias governamentais envolvidas e as organizações sociais. Em seu primeiro discurso no governo, o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, estipulou um prazo de seis meses para equacionar o problema. Além de iniciar o diálogo com as diversas instâncias governamentais que precisam ser engajadas nos trabalhos, como os ministérios da Justiça, Saúde, Educação e Desenvolvimento Social, Fazenda, Planejamento e Controladoria Geral da União, a Secretaria Geral da Presidência promoveu uma primeira reunião com os representantes da Plataforma em maio. A comissão de trabalho mista, entretanto, ainda não foi oficializada.

A ABONG e os demais representantes de organizações da sociedade civil estão apreensivos com a morosidade dos encaminhamentos. Temos a certeza de que o fortalecimento da participação cidadã e o combate à corrupção são ações estruturantes para o desenvolvimento da democracia brasileira e precisam ser tratados com a devida prioridade. Precisamos de leis, normas e regulamentações que estimulem o envolvimento da cidadania em causas públicas e garantam o acesso democrático a recursos públicos, com mecanismos que permitam tanto a utilização eficiente dos recursos alocados quanto sua ampla publicização para controle social.

Isto passa necessariamente pela configuração de uma democracia participativa no Brasil, a partir da criação e melhoria da qualidade de espaços e processos que estimulem o envolvimento de novos atores em questões de interesse público. Para tanto, é igualmente fundamental que organizações e governos se comprometam com a intensificação e melhoria da qualidade de suas atuações e com o aperfeiçoamento das práticas de gestão e transparência. Nesse sentido, ressalta-se ainda a importância de fortalecimento da Proposta de Iniciativa Popular de Reforma Política, lançada em 16 de agosto, para uma coleta de assinaturas que torne possível seu envio ao Congresso Nacional. Trata-se de uma reforma política ampla e democrática, que propõe mudanças para além do sistema eleitoral e reivindica a inclusão de grupos sociais tradicionalmente alijados dos espaços de poder.

Dentre os efeitos nocivos da criminalização das ONGs no Brasil está a possível diminuição do engajamento da sociedade na esfera pública e nas ações coletivas que visam o bem comum. Frente a isso, é fundamental a qualificação do debate público acerca deste tema, o que requer uma abordagem mais pluralista pela imprensa, com abrangência condizente com a diversidade de atuações das organizações da sociedade civil. Para construirmos relações sociais mais democráticas, é preciso restabelecer a confiança da sociedade em sua própria capacidade de gerir seus destinos, com base em valores de equidade e justiça, incentivando o engajamento de mais cidadãos e cidadãs em causas de interesse público.

ABONG – Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

DIA 30 PELAS 30 HORAS – VAMOS APOIAR!


Fonte: http://cressrj.org.br

A direção do CRESS-RJ está organizando o dia 30 de agosto como Dia Estadual de Luta pelas 30 horas.

Em todos os municípios e regiões do estado em que for possível, esta será uma data de realizar atividades.
Afinal, a lei 12.317/2010 altera a Lei de Regulamentação da profissão. Assim, suas previsões valem para todos os assistentes sociais, quaisquer que sejam as formas de contratação. No entanto, muitos empregadores ainda não a estão cumprindo.

Que fazer no dia 30?

. Converse com seus colegas e organize reuniões, atos, debates ou outra atividade
. Tente organizar uma audiência pública na Câmara de Vereadores de sua cidade
. Articule-se com seu sindicato para estas e outras iniciativas
. Use o adesivo das 30 horas que o CRESS encaminhará à categoria
. Use verde no dia 30 (roupas, fitas etc)
. Comunique ao CRESS-RJ (diretoria@cressrj.org.br) que atividade acontecerá em seu município (o
Conselho se organizará para estar presente na maior parte das atividades do estado)

O CRESS SOMOS NÓS!!! SÓ TEM CONQUISTAS QUEM LUTA!!!

DIA 30 PELAS 30 HORAS

REDUZIR JORNADA É BOM PARA TODOS!