Headmouse, o mouse virtual


Fonte: http://www.superdownloads.com.br/materias/headmouse-mouse-virtual-destinado-mobilidade-reduzida-atinge-marca-de-300-mil-downloads-na-america-latina.html#ixzz1QlVP6Shg

O programa é gratuito e está disponível no Superdownloads

O HeadMouse, um mousevirtual desenvolvido por criadores espanhóis, alcançou recentemente a marca de 300 mil downloads na América Latina.

Ele funciona  com movimentos da cabeça, além de gestos faciais.

O programa foi desenvolvidoatravés de uma parceria  entre Universidade da Lleida, a empresa Indra e a Fundação Adecco. De acordo com os criadores, trata-se de um programa único, já que é gratuito e voltado para pessoas com problemas de mobilidade. O único requisito é ter uma webcam instalada no computador.

Segundo Alicia Fernandes, a responsável pelas tecnologiasacessíveis da Indra, não é necessário muito tempo para aprender o seu manuseio. Com o Headmouse2 é possível realizar todas as funções de um mouse comum, como clicar e arrastar.

Tudo é feito por meio da abertura da boca ou piscadas de olhos.

Dia V – Um modelo de voluntariado


O voluntariado, sem sombra de dúvidas, é umas das forças mais poderosas quando o combustível que a move é a Solidariedade.

O voluntariado, transforma, promove o crescimento, alegria, bem-estar interior, exterior e riquezas, além do grau de interatividade que possibilita entre a pessoa que doa o seu tempo para uma causa e aquele que a recebe.

Existem milhares de ações por todo o mundo através da prática voluntária e dentre muitas realizadas aqui no Brasil, todas elas importantes, destaco um projeto da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais – Fiemg, cujo programa agrega pessoas e valores em diversas ações voluntárias, estejam elas onde estiver.

O nome deste projeto é DIA V  e congrega todas as pessoas para a prática solidária.

Vejam a seguir um resumo:

Fontes:  http://www3.fiemg.com.br  e http://www.blog.diav.com.br

 

Dia V 2010

Histórico

O Dia V nasceu de uma proposta do Conselho de Cidadania Empresarial do Sistema FIEMG de chamar as empresas mineiras para um dia de ação voluntária, criando assim um fato de repercussão nacional, capaz de despertar atenção para o voluntariado. Este propósito inicial acabou sendo sensivelmente ampliado, cumprindo função estratégica de promoção e organização da responsabilidade social e do voluntariado em Minas Gerais.

O que é o Dia V

São 24 horas de ações voluntárias que mobilizam pessoas e empresas que, organizadas em grupos, fazem neste dia alguma atividade em benefício de sua comunidade. O Dia V acontece em todo o estado de Minas Gerais e define-se pelo verbo agir: fazer algo em benefício de nossos semelhantes e de nós mesmos.

Quem participa

Todos podem participar do Dia V, de preferência em grupos organizados nas empresas, cidades, escolas, universidades, bairros, igrejas, sindicatos… É uma oportunidade para demonstrar espírito de cidadania, solidariedade, integração com os colegas, amigos, vizinhos e parentes. O Dia V pode ser apenas o início, a inauguração de uma ação capaz de se estender por um ano inteiro e de transformar muitas vidas.

Vem aí o Dia V 2011 e você não pode faltar! O Dia V é um dia de celebrar e comemorar as conquistas do voluntariado realizadas durante todo o ano. É também o dia de realizar alguma ação voluntária transformadora e colocar em prática a solidariedade. Este ano o Dia V vai acontecer no dia 28 de agosto, quando é comemorado o DIA NACIONAL DO VOLUNTARIADO. O convite está feito, convide sua família, seus amigos, colegas de trabalho e vizinhos para juntos planejarem a ação. DIA V 2011– Todo dia é dia de ser voluntário!

Fundação Telefonica: edital para Projetos Culturais


A Fundação Telefônica está buscando projetos culturais voltados a crianças e adolescentes e vinculados às novas tecnologias. Para isto, através de seu Programa de Arte e Tecnologia, lança seu primeiro edital de patrocínios culturais, com o qual erão apoiados projetos enquadrados nos termos da Lei Rouanet (Lei Federal Nº 8.313/91) com o objetivo de fomentar a cultura digital no Brasil.
O edital tem por objetivo estimular a produção e difusão de projetos culturais e artistas especialmente vinculados à tecnologia, inovadores em termos de linguagem, interatividade, criatividade ou forma de distribuição de seus conteúdos. Instituições e produtores culturais de todo o país podem inscrever suas propostas até o dia 30 de junho de 2011.
Para preencher a ficha de inscrição ou baixar o regulamento, acesse o site da Fundação Telefônica.

Cartilha: Cultura de Paz


Olá pessoal!

Existem certas coisas que são extremamente importantes compartilharmos.

Entrem no site e façam o download.

Fonte: http://www1.sp.senac.br/hotsites/gd4/culturadepaz/

Esta cartilha é uma contribuição do Senac São Paulo e da Professora Lia Diskin para a sociedade brasileira. Ela tem como propósito compartilhar saberes, experiências de convívio e, sobretudo, inspirar iniciativas que tenham como finalidade a promoção do desenvolvimento humano, social e, em consequência, a cultura de paz. A Cultura de Paz está intrinsecamente relacionada à prevenção e à resolução não-violenta dos conflitos. É uma cultura baseada em tolerância, solidariedade e compartilhamento em base cotidiana. Uma cultura que respeita todos os direitos individuais – o princípio do pluralismo, que assegura e sustenta a liberdade de opinião.

A Cultura de Paz procura resolver os problemas por meio do diálogo, da negociação e da mediação, de forma a tornar a guerra e a violência inviáveis.

ABIR cartilha online (POPUP) BAIXAR cartilha em PDF BAIXAR cartilha executavél

Vamos ajudar o Vitor?


Olá pessoal!

As possibilidades e oportunidades de se expressar de forma solidária, estão presentes a todo o momento.

Encontrar meios e formas de minimizar a dor ou dificuldade do outro, é uma tarefa fácil quando entendemos que ninguém consegue caminhar de forma isolada e solitária, se esquecendo do contexto que está inserido.

Apresento a você logo a seguir um destes fatos em que podemos fazer a diferença através de um ato de solidariedade.

Vamos participar e permitir que o Vitor receba o melhor tratamento para seu problema de saúde.

Fonte: Rede Social Jundiaí

AMIGOS…
Também nas horas difíceis, lembro de vocês!!!
meu primo Vitor, que muitos de vocês já sabem, está tratando de uma leucemia desde o começo do ano, e a luta travada não tem sido fácil… Ele fica com a resistência baixa demais após as séries de quimioterapia e por conta disso, ele acaba sendo internado várias vezes e por alguns dias. Nessas internações, ele precisa de SANGUE, na última vez, ele usou 21 bolsas!!
Para que ele possa continuar o tratamento é preciso que se tenha sangue nos bancos,e como já se sabe, faltam doadores!!! E é aí que preciso dos amigos!!! Se vocês não puderem, ou não quiserem doar por qualquer motivo, pelo menos ajudem a pedir doadores… Sua participação será tão importante quanto de quem doou.
As doações podem ser feitas em dois locais:
1) BIOCLINICA –  Rua Senador Fonseca, 1314, Tel.: (11) 3379 6400- das 7h às 11h de segunda a sexta-feira é feita a coleta, precisa estar bem alimentado, sem bebida alcoólica por 24 h , sem fumar por 2 horas e levar o RG original.
2) COLSAN JUNDIAÍ – R. XV de Novembro, 1848 Tel.: (11) 4521-4025- Segunda a Sábado das 07:30 às 12:30 hs é feita a coleta, precisa estar bem alimentado (sem refeições pesadas), ter entre 18 e 65 anos, pesar acima de 50 kg, levar o RG original. Na COLSAN você ainda receberá gratuitamente vários testes:Tipagem sanguínea, Triagem para Doença Falciforme (Hemoglobina S); Exames para Hepatite B e C, HIV I e II, Sífilis, Doença de Chagas e HTLV I/II . Os resultados de seus exames (carteirinha de doador) estarão prontos em cerca de 30 dias e deverão ser retirados no próprio posto de coleta.
Homens podem doar a cada 2 meses, até no máximo 4 vezes no período de 12 meses.
Mulheres podem doar a cada 3 meses, até no máximo 3 vezes no período de 12 meses.

.

Por favor, doar em nome de VITOR LEONARDO PICERILLO BARBOSA, interno do Greendac e do Hosp Santa Elisa.
Grata aos meus amigos por mais esta participação em minha vida!!!
Flávia Malerba

O IBC NÃO PODE FECHAR!


        

Fonte: Semíramis Alencar

Olá pessoal!

Existe uma disposição de algumas áreas do governo em fechar o Instituto Benjamin Constant, que destaca-se por ações diversas na área de educação, sobretudo para pessoas com deficiência visual.

Vejam no endereço a seguir uma petição para evitar o fechamento e solicitando adesão das pessoas para que não acabe um trabalho desenvolvido desde os tempos de D. Pedro II.

Acessem e apoiem a campanha!  http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2011N8365

Participem deste abaixo assinado!

Vejam a seguir um resumo da Instituição:

O Instituto Benjamin Constant foi criado pelo Imperador D.Pedro II através do Decreto Imperial n.º 1.428, de 12 de setembro de 1854, tendo sido inaugurado, solenemente, no dia 17 de setembro do mesmo ano, na presença do Imperador, da Imperatriz e de todo o Ministério, com o nome de Imperial Instituto dos Meninos Cegos. Este foi o primeiro passo concreto no Brasil para garantir ao cego o direito à cidadania.

Estruturando-se de acordo com os objetivos a alcançar, o Imperial Instituto dos Meninos Cegos foi pouco-a-pouco derrubando preconceitos e fez ver que a educação das pessoas cegas não era utopia, bem como a profissionalização.

Com o aumento da demanda foi idealizado e construído o prédio atual, que passou a ser utilizado a partir de 1890, após a 1ª etapa da construção. Em 1891, o instituto recebeu o nome que tem hoje: Instituto Benjamin Constant (IBC), em homenagem ao seu terceiro diretor.

Fechado em 1937 para a conclusão da 2ª e última etapa do prédio, o IBC reabriu em 1944. Em setembro de 1945 criou seu curso ginasial, que veio a ser equiparado ao do Colégio Pedro II em junho de 1946. Foi proporcionado, assim, o ingresso nas escolas secundárias e nas universidades.

Atualmente, o Instituto Benjamin Constant vê seus objetivos redirecionados e redimensionados. É um Centro de Referência, a nível nacional, para questões da deficiência visual. Possui uma escola, capacita profissionais da área da deficiência visual, assessora escolas e instituições, realiza consultas oftamológicas à população, reabilita, produz material especializado, impressos em Braille e publicações científicas.

Toda a história centenária do IBC foi publicada no primeiro exemplar da Revista Benjamin Constant, em um texto que apresenta os seguintes tópicos históricos: antecedentes, fundação, primeiros diretores, nomes do instituto, imprensa Braille e o instituto no século XX.

abs a todos!

 

Terceiro Setor e Religião é tema de obra literária


Olá pessoal,

Faço um convite a todos para participarem da festa de lançamento do livro “TERCEIRO SETOR E RELIGIÃO: CARIDADE, ÉTICA E DIREITO NA CONSTRUÇÃO DA CIDADANIA”, de autoria de Rodrigo Mendes Pereira.

Tema atual e de interesse de toda a comunidade.

O evento acontecerá amanhã (10/06/11), às 19:30, no Anfiteatro da Cúria Diocesana de Jundiaí, localizada na Rua Eng. Roberto Mange, 400 – Anhangabaú.

Vejam a seguir a chamada com detalhes do evento:

Contamos com a sua participação! Até lá!

 

Um teto para meu País (UTPMP) revela o Brasil da extrema pobreza


Olá!

Compartilho sempre as idéias, pensamentos e ações concretas que transformem positivamente o meio em que vivemos!

Compartilhe você também! Veja a seguir:

Fonte desta informação: Thaís Yamashita

Hoje 16,2 milhões de brasileiros moram em situação de pobreza extrema, ganhando menos de R$ 70 por pessoa ao mês. Esse número corresponde a toda a população do Chile e é dobrado se considerarmos todas as pessoas que vivem em situação de pobreza. A realidade com a qual convivemos é uma vergonha e parece que poucas pessoas se importam. Só para exemplificar, cito duas situações:

As violações aos direitos humanos no Rio por conta dos projetos da Copa e dos Jogos Olímpicos, que provocaram remoções de comunidades completas, compensações baixas e unilaterais, demolição de centenas de moradias sem uma solução concreta. Tais condutas -disfarçadas de políticas públicas- são simplesmente intoleráveis. O governo federal e estadual tem que garantir transparência nos direitos e respeito irrestrito à lei e ao devido processo.

Outro caso evidente que muitos não querem mais ver -talvez porque o período de chuvas já terminou- são as famílias que moram em zonas de risco, simplesmente porque não têm outra possibilidade. Atualmente, são mais de 173 mil famílias vivendo em zonas de alto risco no Estado de São Paulo, segundo pesquisa da Fundação Seade, encomendada pela Secretaria de Habitação – o equivalente a dois vezes o estádio Morumbi lotado.

Os dois exemplos representam milhões de famílias morando em uma emergência constante no Brasil; vivendo em uma condição de vulnerabilidade extrema.

Um Teto para meu País (UTPMP) apóia com força a proposta do governo de implementar uma política pública destinada a combater a extrema pobreza, mas com a mesma força exigimos que a implantação dessa política seja feita de uma forma que permita o desenvolvimento de ferramentas para os beneficiários, para que sejam eles os protagonistas de seu próprio desenvolvimento e não só receptores de um programa unilateral do Estado.

As famílias mais vulneráveis do Brasil não precisam nem desejam presentes, mas sim oportunidades e principalmente que se respeitem efetivamente seus direitos sociais garantidos na Constituição e nas leis. A vergonhosa situação de pobreza extrema que vive hoje o Brasil não é só problema do Estado e das famílias, é um problema multidimensional e são muitos os atores e responsáveis. Como sociedade, deixamos para trás uma parte de nós que fica isolada dos direitos e obrigações que cabem a todo cidadão. Sem acesso aos serviços públicos básicos nem a oportunidades de desenvolvimento, esse contingente que vive na pobreza não tem força para superar sua condição sem o apoio de outros setores.

A sociedade civil agrupada e organizada é um ator fundamental especialmente na denúncia da realidade e na proposta de soluções. Outro ator fundamental para terminar com a pobreza no Brasil são as empresas, sem elas não há solução possível. Responsabilidade Social Empresarial (RSE) não é um departamento dentro de uma corporação destinado a fazer doações ou capitalizar ações de caráter social. RSE é uma maneira de realizar ações, de forma permanente, estável e concreta, com o objetivo de gerar um efeito positivo na sociedade.

UTPMP vai continuar trabalhando para mostrar a realidade de pobreza em que vivem milhões de brasileiros e latino americanos, nos 19 países em que atuamos, e com a mesma convicção e perseverança manteremos nosso trabalho e nossa proposta como a principal forma de denúncia.

É por isso que nesta sexta, dia 10, e neste sábado, dia 11 de junho, tomaremos as ruas de São Paulo com milhares de voluntários para arrecadar fundos para dar continuidade ao nosso trabalho e denunciar esta realidade a toda sociedade brasileira. Participe você também da Grande Coleta 2011, inscrevendo-se aqui.

NÓS SOMOS O TETO!Ricardo Montero
Diretor Social
Um Teto para meu País – Brasil