Entidades têm até janeiro de 2011 para completar a documentação para o Cebas


Fonte: http://www.mds.gov.br/assistenciasocial/mural/

A documentação deve ser enviada de acordo com a área de atuação da entidade.

As entidades com pedidos de concessão originária ou renovação do Certificado de Entidade Beneficente de Assistência Social (Cebas) protocolados a partir de 30 de novembro de 2009, terão até o dia 20 de janeiro de 2011 para complementar a documentação.

As entidades devem verificar sua área de atuação, completar a documentação necessária para cada uma dessas áreas e encaminhar para o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), da Educação (MEC) ou da Saúde (MS) onde foi feito o protocolo do pedido de concessão originária ou renovação de Cebas.

Veja a Nota Conjunta MDS/MEC sobre Cebas. Para maiores informações, as entidades devem entrar em contato com o MDS pelo email cebas@mds.gov.br e com o MEC pelo cebas@mec.gov.br.

Anúncios

O Suas e os direitos de crianças e adolescentes.


O Suas e os direitos de crianças e adolescentes
O Suas e os direitos de crianças e adolescentes
Para alguns especialistas e profissionais que trabalham com direitos infantojuvenis, a criação e implantação do Sistema Único de Assistência Social (Suas) trouxe debates importantes sobre o atendimento a crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade.
Uma das discussões que mais avançou, e onde o Suas traz uma das mudanças mais evidentes, é no atendimento ao adolescente em conflito com a lei em cumprimento de medidas socioeducativas, principalmente em meio aberto. Maria do Rosário Corrêa Sales Gomes, professora de pós graduação do Programa Adolescente em conflito com a lei da Universidade Bandeirantes de São Paulo, explica que “as medidas socioeducativas em meio aberto vem sendo trazidas desde o Estatuto da Criança e do Adolescente e recentemente foram reguladas pelo Sinase (Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo)”. Segundo ela, as medidas de internação estão sendo vistas como ação de excepcionalidade. “Ou seja, a ênfase deve ser dada à municipalização, a preservar o princípio da convivência familiar comunitária para que esse menino ou menina participe dessa medida de caráter pedagógico e sancionatório”.
A efetiva aplicação desse modelo a todo o Brasil, entretanto, encontra grandes obstáculos. O Superintendente Estadual de Atenção à Criança e ao Adolescente, da Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos do estado de Pernambuco, Fernando Silva, destaca que não há orçamento compatível para suprir a demanda de adolescentes que cumprem medidas socioeducativas tanto em internação quanto em liberdade.
O especialista defende a definição de um percentual mínimo do orçamento federal para a assistência social, atrelado aos valores do PIB anual. Destaca que Cras e Creas, na maioria das vezes, não possuem psicólogos, pedagogos ou até profissionais especializados na defensoria técnica jurídica. “Há uma necessidade de retomar essa discussão do orçamento para se ter um desenho que vá além do que está consagrado hoje”, afirma. Ele propõe “avançar em um diálogo Suas e Sinase para ter uma NOB de recursos humanos específica para medidas socioeducativas”.
A ex-Ministra de Desenvolvimento Social, Márcia Lopes, não defende de forma clara a necessidade de um percentual do orçamento. Segundo ela, esse é um debate que não está fechado. “É claro que a demanda é sempre muito maior, que ainda precisamos ampliar os nossos orçamentos, mas isso caminha junto com o processo de crescimento do Brasil, de desenvolvimento e estabilidade. Mas esse é um debate que não está terminado, ainda está em pauta na Câmara e também no governo”.
Já a professora Maria do Rosário destaca que só é possível pensar numa escala de descentralização e municipalização das medidas socioeducativas pelo Brasil se for assegurado o financiamento. De acordo com ela, o Plano Plurianual de Assistência Social, feito pela primeira vez em 2008, representou um avanço nesse sentido, já que garantiu recursos federais ao serviço denominado “Proteção Social aos Adolescentes em Cumprimento de Medidas Socioeducativas, Liberdade Assistida e Prestação de Serviços à Comunidade”.
Para Fernando Silva, entretanto, não basta apenas garantir um financiamento mínimo para a assistência social e para programas específicos, mas é preciso ter orçamentos condizentes com a demanda do Sistema de Garantia de Direitos como um todo, garantindo recursos às áreas de educação, saúde, esporte e cultura. Somente assim, segundo ele, é possível criar de fato o Sistema de Garantia de Direitos da Criança e do Adolescente previsto pelo ECA. “Se eu tenho crianças e adolescentes usuários de droga, não bastam os equipamentos da assistência. Eu tenho que ter no mínimo [os equipamentos do Sistema da] Saúde e do Sistema de Proteção”, reforça.

Voluntariar é preciso!


Olá pessoal!  Vejam a seguir o excelente trabalho realizado pelos voluntários Plantão do Riso.

___________________________________________________________

Voluntariar é preciso.

Fonte: http://www.plantaodoriso.com

Companheiros da Alegria

Olá a todos, sem muito delongas e lero lero, já vou direto ao assunto.

VOLUNTARIADO.

Quem faz uso e prática coletiva de trabalhar de forma voluntária sem ganhar um centavo?

A um tempo atrás, antes de vim para SP, estava fazendo um trabalho voluntário fotografando um grupo chamado: Plantão do Riso.
Meu trabalho era simples, documentar através de fotos e de uma forma linda, toda ação prática desse grupo dentro dos hospitais de Taubaté.

É um trabalho maravilhoso, quase que toda vez quando eles entravam e começavam a interagir com os pacientes, quase sempre escorria uma lágrima dos meus olhos, de ver a alegria das pessoas em receber um simples abraço e um simples sorriso dos “médicos de plantão”.

O porque desse post? Porque hoje uma das integrantes entrou em contato novamente comigo, pedindo a gentileza caso eu possa ajudar a criar novas fotos para a edição gráfica e sites do próprio grupo.

A questão é? você fotografo cobraria por esse tipo de serviço? ou faria de uma forma voluntária para sair da rotina, ou para ser um pouco humano em ajudar de forma simples nem que seja doando um pouquinho do seu tempo.

quarta alegre poser

Sempre quis ajudar de alguma forma, e a forma que achei foi essa, doar um pouco do meu tempo e disposição para ajudar um grupo que ajuda tanta gente. Estou errado em não cobrar?

Ai vai de cada um!
Vai das suas intenções e modo de ver a vida.

Abraço no seis tudo!

Para saber mais acesse em breve novo site: http://www.plantaodoriso.com e siga @plantaodoriso

Cartilha ensina crianças a reciclar e preservar o meio ambiente


Cartilha ensina crianças a reciclar e preservar o meio ambiente

Fonte: http://educambientalsv.wordpress.com/2011/01/18/cartilha-ensina-criancas-a-reciclar/

Você sabe o que fazer com a lata de refrigerante vazia? Junto com uma caixa de suco, cartolina e cola é possível montar um trator para a criançada. Esta e outras dicas sobre reciclagem estão publicadas na cartilha Nós, as Embalagens e o Meio Ambiente, lançada pelo Instituto de Embalagens em parceria com o Ministério do Meio Ambiente.

Foram impressas 30 mil cartilhas. Elas serão distribuídas para escolas públicas e particulares do Brasil, para os professores trabalharem os temas da reciclagem e do consumo consciente com crianças de oito a 10 anos. O material também será vendido em lojas e no site do instituto. Salas Verdes também vão receber a publicação.

Com linguagem simples e didática, a cartilha mostrar às crianças a importância da reciclagem e do consumo consciente. Sofia e Pedro são os dois personagens que levam o leitor a uma viagem para descobrir como são feitas as embalagens, sua importância e sua relação com o meio ambiente. As crianças aprendem, também, como as embalagens podem ser reaproveitadas e recicladas.

A expectativa é que o livreto alcance 300 mil crianças. Ele foi impresso em material reciclável e reciclado, impermeável e de alta resistência. Assim, cada criança que tiver acesso à cartilha poderá repassá-la a outra pessoa.

Caderno de atividades – Junto com a cartilha vem um caderno de atividades. Nele, a criança brinca de caça-palavras, labirinto, ligue os pontos e de colorir, sempre com atividades relacionadas ao consumo consciente e à reciclagem. O caderno de atividades dá instruções para montar uma casinha, fazer um jogo de damas, um vaso de plantas e até um kit de escritório com materiais reciclados.

O projeto foi conduzido pelo Instituto de Embalagens, em parceria com o Ministério do Meio Ambiente e os colégios Pentágono, de São Paulo, e Ônis, de Santos, que deram apoio pedagógico e contribuíram para adequar a linguagem e as atividades à faixa etária de 8 a 10 anos.

Cursos Gratuítos para Surdos


Cursos Gratuitos para Surdos

A COSTHA PARANHOS em parceria com o SINDEPRESTEM está oferecendo curso gratis + condução
+coffee Break + certificado com garantia de emprego para os aprovados.

CURSOS:
– AUXILIAR DE ESCRITÓRIO COM ENFASE EM RECURSOS HUMANOS,
– AUXILIAR DE ESCRITÓRIO COM ENFASE EM COMPRAS e
– AUXILAIR DE ESCRITÓRIO COM ENFASE EM ESTOQUE.

PERFIL DOS PARTICIPANTES:
Pessoas com necessidades especiais que estejam socializados para convivência em grupo com
idade entre 16 a 20 anos.

CARA HORÁRIA:
70 horas – (4 hs por dia – de 2ª a 5ª feira) Das 13:30hs a 17:30hs

PREVISÃO PARA INICIO:
Fevereiro de 2011.

O programa será ministrado por uma Instrutora de Treinamento e um interprete credenciado em
LIBRAS – (Língua Brasileira de Sinais), com recursos visuais e parte do curso com prática e
demonstrações visando maior assimilação e aproveitamento.

INSCRIÇÃO: Fone: 9717.3913 ou costhaparanhos@costhaparanhos.com.br

Cacilda Costha Paranhos
Educadora, Auditora/Consultora de RH e Qualidade.
http://www.costhaparanhos.com.br